Links de Acesso

Novo presidente da Petrobras tem de "limpar" a imagem da empresa

  • Alvaro Ludgero Andrade

No Brasil, o presidente do Banco do Brasil Aldemir Bendine foi o escolhido para dirigir a Petrobras, substituindo Graça Foster, que renunciou ao cargo ontem, no meio do maior escândalo de corrupção do país. O anúncio oficial será feito no fim do dia, mas a primeira reacção do mercado à escolha de Bendine foi negativa com as acções da Petrobrás a caírem 7 por cento.

A substituição da presidente da Petrobras em apenas 24 horas pretende impedir a queda das acções da Petrobras e dar um sinal de que o Governo está fortemente empenhado em corrigir a imagem que a mais importante empresa do país tem transmitido ao mundo.

Se é verdade que o caso de corrupção que assola a Petrobras está ainda em desenvolvimento e se desconhece o tamanho do buraco financeiro que vai deixar na empresa - quando apenas em propinas ao partido no poder, o PT, foram pagos 800 mil milhões de dólares, o facto de ter sido detectado pelas instituições da República, ao contrário do que acontecia no passado, pode ser positivo para o país.

Esta é a leitura de Paulo Sotero, director do Brazil Institute, uma organização pertencente ao Centro Wilson, aqui em Washington:

“São as instituições que criamos em 30 anos de democracia que descobriram este caso, a Polícia Federal, o Ministério Público e os juízes”, disse Sotero.

Para este ano, são esperados cerca de 50 mil milhões de dólares em investimentos externos no Brasil, um número que poderá ser afectado com o caso da Petrobras e a crise de confiança existente actualmente.

Ontem, os jornais americanos e europeus alertaram que a Petrobras poderá engolir o Governo.

Entretanto, Paulo Sotero diz acreditar que o cenário pode não ser tão negativo porque “com medidas certas e a credibilização das instituições, o Brasil continua a ser um lugar muito atraente”.

Para o director do Brazil Institute, medidas rápidas e o regresso da Petrobras à sua função comercial, menos estatizada, constituem o caminho para o regresso da empresa à estabilidade.

XS
SM
MD
LG