Links de Acesso

Novo presidente da Nigéria toma posse esta Sexta-feira

  • Redacção VOA

Perante enormes desafios, a população espera melhorias.

Muhammadu Buhari, o presidente eleito da Nigéria, toma posse nesta sexta-feira, 29, em cerimónia que se espera cheia de pompa e longa. Mas logo que terminar, Buhari iniciará o grande exercício de governar o país mais populoso de África.

Buhari toma posse na ressaca da crise de combustível que paralisou a economia durante dias.

Apesar de ser o maior produtor africano de petróleo, a Nigéria não tem capacidade para refinar e importa os derivados. O Governo subsidia o preço, mas por causa de uma dívida com os empresários da área, o país ficou privado de combustível.

Enquanto isso, mais de um milhão de pessoas fugiram do nordeste do país para evitar cair nas teias do Boko Haram, que continua a atormentar a região.

Essas questões fazem parte das prioridades que Buhari enumerou após ganhar as eleições em Março: Combater a corrupção, a insegurança e o desemprego.

O ex-governante militar tem os seus detractores, mas muitos nigerianos acreditam que nos próximos quatro anos serão vistas melhorias na maior economia africana.

Na cidade de Ughelli, no sul do país, o funcionário público Onoriede pensa que Buhari está em posição de implementar reformas no sector de petróleo, que tem a infeliz fama de gastos elevados e corrupção. Onoriede diz que Buhari tem coragem, “mas não podes prever nada antes de um líder tomar posse”.
Suleman Yakubu, na cidade nortenha de Kaduna, diz que Buhari deverá processar os políticos corruptos do Governo do presidente cessante de Goodluck Jonathan.

“A corrupção corroeu e acho que isso vai estagnar o país. Ele deverá chamar algumas pessoas do Governo cessante para responderem ou devolver o nosso dinheiro que roubaram", diz Yakubu.

Faith Fatima, também de Kaduna, apenas deseja ter um Executivo honesto, responsável, “que saiba que a Nigéria é suficientemente rica para satisfazer a sua população e faça questão de respeitar as leis. "

Quanto à corrupção, Fatima não sabe se Buhari será capaz de resolver a partir do seu gabinete em Abuja. “Lidar com a corrupção é uma responsabilidade colectiva, porque somos todos responsáveis pelo estado em que se encontra o nosso país,” diz Fatima.

Em teoria, Buhari tem muitos instrumentos para concretizar a sua agenda. O seu partido controla o parlamento e a maioria dos Estados. Mas o poder político está nas mãos de particulares e Buhari deverá lutar com eles para concretizar as promessas.

XS
SM
MD
LG