Links de Acesso

Novo jornal trata crimes contra o erário público e de colarinhos brancos

  • Coque Mukuta

Capa do jornal angolano "O Crime"

Capa do jornal angolano "O Crime"

A capital angolana começou a contar com mais um jornal, denominado “O Crime”, de publicação quinzenal e que pretende tratar assuntos de natureza criminal.

Nesta primeira edição, o jornal traz uma reportagem sobre o tráfico de drogas em Angola, na qual revela a participação de altas patentes da Polícia e das Forças Armadas Angolana neste negócio como também os pontos de venda.

A iniciativa é do jornalista Mariano Brás que, preocupado com a segurança pública e a delapidação do erário público em Angola, criou o grupo Media Jovem, Lda. O jornal visa tratar também assuntos da chamada alta criminalidade ou crimes de colarinho branco.

Quanto ao financiamento para manter o projecto, Mariano Brás, também director da publicação, garante que, até ao momento, não há patrocinadores nem investidores.

“Tudo está sob minha responsabilidade e, como deve saber, não temos muitas condições”, afirmou.

Na sua primeira edição, o jornal apresenta uma reportagem sobre o tráfico de drogas em Angola, que, embora sem mencionar nomes, revela a participação de elementos ligados à Polícia e às Forças Armadas no negócio.

Questionado sobre as imagens do Ministro do Interior e do principal responsável das Forças Armadas Angolanas, Mariano Brás disse que se deveu ao “ao facto de a DNIC agora estar sob tutela do Ministério do Interior”

A tiragem do jornal é de 1500 exemplares. O corpo redactorial é composto por 15 jornalistas, um designer e uma secretária, com idades compreendidas entre 20 e 35 anos. Apesar de ainda não ter correspondente noutras províncias, tem um colaborador no Brasil.

XS
SM
MD
LG