Links de Acesso

No Uíge, Unita acusa administradores de causarem distúrbios


Líder provincial diz que problemas têm que ser resolvidos pelo diálogo.

Moniz Francisco

O secretário provincial da Unita Félix Simão Lucas acusou administradores de vandalismo e de actos de intimidação contra o seu partido.

Em entrevista à VOA no Uíge, Lucas disse que o mais recente episódio foi vivido na comuna do Lucanga, Município do Bembe, a cerca de 50 Quilómetros da sede capital da província do Uíge, onde o político acusou o administrador comunal de ter orientado o soba para impedir o acto.

“Um soba foi instruído pelo administrador para causar escândalo durante a realização do nosso acto, por meio de uma motorizada que culminou com o atropelamento de um dos nossos membros, causando-lhe ferimentos graves, são comportamentos enfarruscados do MPLA”, disse.

Felix Simão Lucas defendeu o diálogo entre os dois maiores partidos políticos em Angola, como sendo a base fundamental da resolução desses conflitos, tendo em conta os próximos desafios eleitorais que se avizinham em 2017.

Segundo o político, sendo o MPLA o partido que venceu as últimas eleições gerais em 2012, o partido no poder não deveria ter motivos para "pautar por um comportamento imundo e que mancha o bom sentido da democracia no geral".

“Nós da Unita acima de tudo vamos optar pelo diálogo e por isso chamamos a atenção à população e até mesmo aos irmãos do MPLA, no sentido de se evitar estes comportamentos que são menos dignos, principalmente para um partido que se diz vencer com a maioria absoluta”, disse o dirigente local da Unita, para quem o que se tem passado “é manchar o bom sentido da democracia no sentido geral”.

XS
SM
MD
LG