Links de Acesso

Nelson Mandela - a morte de um herói


Nelson Mandela

Nelson Mandela

O antigo presidente sul-africano, Nelson Mandela, morreu com 95 anos de idade. Por todo o mundo se chora a perda do primeiro presidente negro da África do Sul.

Para muitos, Nelson Mandela foi um herói, um homem de coragem, de convicção, um homem de visão. Era descrito como discreto, charmoso, leal e que se interessava pelos outros.


Herman Cohen, Subsecretário de Estado Assistente para África de 1989 a 1991: “Ele parecia ter aquela forma carismática especial de estar. Tornou-se o símbolo da luta contra o apartheid.”

Mandela nasceu a 18 de Julho de 1918. Ainda jovem tornou-se membro activo do movimento antiapartheid e juntou-se ao Congresso Nacional Africano (ANC) nos anos 40.

O governo de minoria branca proibiu o ANC em 1960, mas o grupo continuou a operar secretamente. Mandela tornou-se no chefe da nova ala militar do ANC, coordenando a campanha de sabotagem contra os militares sul-africanos e alvos militares.

Em 1962 foi preso, levado a tribunal pelas suas acções e sentenciado a prisão perpétua na Ilha de Robben, ao largo da costa da Cidade do Cabo. Passou ali 18 anos, recusando uma oferta do governo para o libertar se ele renunciasse à luta armada do ANC. Seria libertado em 1990 depois do presidente sul-africano Frederik de Klerk ter legalizado todos os partidos políticos e solto a maioria dos presos políticos.

Pouco depois da sua libertação, Nélson Mandela foi eleito presidente do Congresso Nacional Africano. Em 1994, quando o ANC ganhou as primeiras eleições multirraciais da África do Sul, tornou-se no primeiro presidente negro do país. Tinha 75 anos de idade.

Nunca, nunca, nunca mais esta terra maravilhosa voltará a experimentar a opressão de uma pessoa por outra.” Palavras de Mandela na sua tomada de posse como presidente da África do Sul.

Mandela disse que ficaria no poder durante apenas um mandato de cinco anos. Cohen diz que Mandela ganhou respeito internacional pela reconciliação nacional na África do Sul: “Mandela dedicou-se sobretudo a conquistar os sul-africanos para esta nova era de trabalho pelo desenvolvimento económico, ter uma boa educação, foi também um grande porta-voz na cena internacional”.

Em 1993, Mandela partilhou o Premio Nobel da Paz com o seu antigo inimigo, de Klerk, pela contribuição de ambos ao processo de paz na África do sul.

Depois de receber o prémio, Mandela elogiou o povo sul-african: “Criaram todos uma sociedade que reconhece que todas as pessoas nascem iguais.”

Durante a sua presidência, Mandela foi criticado por não confrontar a epidemia da SIDA que já afectava a África do Sul. Contudo, anos mais tarde, tornou-se num dos grandes oradores da luta anti-sida.

“Juntos podemos lutar contra a SIDA e assegurar um futuro mais seguro para todos”, disse.

Mandela prosseguiu também o seu trabalho pelos direitos das crianças.

Num país dividido por anos de conflito racial, Nelson Mandela, é considerado um líder extraordinário, notável, um homem que afastou a África do Sul da violência e ódio e o tornou num país de paz e prosperidade.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG