Links de Acesso

Namibe faz aniversário sem motivos para festa

  • Armando Chicoca

Angola Namibe seca

Angola Namibe seca

Lixo e falta de água são problemas incontornáveis

A cidade do Namibe comemora hoje, 4 de Agosto, 165 anos de existência, marcando assim a data em que portugueses idos de Pernambuco, Brasil, instalaram-se em Moçâmedes, hoje Namibe, repovoando-se mais tarde para o sul e centro de Angola.

A fortaleza S. Fernandes, a paróquia santo Adrião, os fortes de Kapangombe e de Santa Rita são os principais monumentos históricos que espelham a idade de 165 a ser comemorada no próximo dia 4 de Agosto.

Desde a Administração colonial até na década 2010, a cidade do Namibe foi considerada a mais limpa de Angola, o que não acontece nos dias de hoje, onde o lixo tomou conta da cidade, facto aliado a problemas da escassez de água e o monstro da escuridão que inquieta as comunidades.

“A nossa cidade do Namibe já foi a mais bela e limpa de Angola, mas agora é a mais suja. Os funcionários dos serviços comunitários recolhem lixo nas ruas que dão visibilidade e noutras não. Também não há contentores para as comunidades colocarem o lixo, por isso não devemos esconder esta realidade, dando imagem ao Namibe aquilo que já não é”, disse um munícipe à VOA

Os Namibenses dizem que por cima do lixo ninguém se arrisca festejar os 165 anos de existência do antigo Moçâmedes, não por culpa do actual administrador Municipal João Guerra, mas os políticos atribuem a causa da situação à má visão do Governo da província que, apesar de existir verbas para o saneamento básico, pouco ou nada esta faz para o saneamento básico, segundo Ricardo de Noé Tuyula, da Unita.

A cidade do Namibe é hoje caracterizada pelo pesadelo do lixo, tornando-se a mais suja do país, com moscas às portas, desde o palácio do Governo às portas das igrejas e cubatas dos simples cidadãos, potenciando a malaria com cerca de 20 mil e 24 óbitos no primeiro trimestre do ano em curso.

O Bispo do Namibe, num tom que lhe é peculiar, disse que a história de Moçâmedes não poder apagar. Dom Dionisio Hisilenapo, na celebração dos 165 anos da paróquia Santo Adrião que por razões históricas coincide com o aniversário da cidade de Moçâmedes foi mais longe porque, segundo ele, não há intempéries que podem travar a historia de Moçâmedes.

Além do lixo e escassez de agua, Namibe é também fustigada pela seca em cinco anos consecutivos, apesar dos gritos de socorro, não luz no fundo do túnel visando resgatar o sofrimento provocado pela falta de água para se contrapor à seca que já dizimou a vida animal dos criadores autóctones, ameaçando a vida humana nesta parcela do país.

XS
SM
MD
LG