Links de Acesso

Moçambique: Líder dos veteranos de guerra quer formar partido político

  • Simião Pongoane

José Mandra, Vice-Ministro Mocambicano do Interior

José Mandra, Vice-Ministro Mocambicano do Interior

. Hermínio dos Santos está agora no interior do país numa missão de angariação de apoios

O Fórum dos Desmobilizados de Guerra de Moçambique está mergulhado numa polémica provocada pelo seu próprio líder, Hermínio dos Santos, que tenciona transformar este fórum de antigos militares num partido politico.
Hermínio dos Santos está agora no interior do país numa missão de angariação de simpatias para a sua intenção, mas os seus colegas repudiam a iniciativa, dizendo que, em Moçambique, há muitos partidos politicos que acabam ficando atrofiados.
Hermínio dos Santos, antigo membro das Forças Armadas governamentais,ganhou popularidade quando foi detido no ano passado pela polícia acusando de estar a preparar uma manifestação dos antigos militares, exigindo o aumento das pensões da reforma dos ex-soldados. Ele ganhou a causa em sede do tribunal e continuou a liderar o movimento de reivindicação de condições para os antigos militares do governo e da Renamo, dizendo que muitos perderam a sua juventude na guerra civil de 16 anos terminada em 1992.
Hermínio dos Santos considera que a actual pensão é irrisória para o elevado custo de vida.
“Mil ou quinhentos meticais não são nada para um antigo militar que acabou de estar 16 anos no mato e que perdeu a sua juventude a defender a soberania e a lutar pela democracia”- lamenta Herminio dos Santos.
Sempre que o Fórum dos Desmobilizados, liderado por Hermínio dos Santos, admite a realização de uma manifestação de rua,o governo fica muito nervoso e acelera a procura de soluções para resolver o problema.
Recentemente, o governo aprovou o ante-projecto do Estatuto do Combatente,que integra todos os antigos militares do Governo e da Renamo e que estabelece as bases legais para o apoio deste grupo social considerado vulnerável.
No entanto, colegas de Hermínio dos Santos dizem que o líder do Fórum dos Desmobilizados quer desviar-se dos princípios que nortearam a criação deste grupo, devido a ambições pelo poder. Hermínio mandou produzir camisetes estampadas com o seu rosto e enviou-as para Mugeba, na Zambézia, sua terra natal, para distribuí-las entre população local em preparação da sua visita. E está agora em Manica em missão de angariação de apoios.
O Fórum dos Desmobilizados de Guerra integra antigos militares do Governo e da Renamo e tem lutado pelo aumento de pensões para todos os ex-soldados desmobilizados em 1993 no âmbito do acordo geral de paz, assinado em Outubro de 1992, em Roma.

XS
SM
MD
LG