Links de Acesso

Mundial de Futebol: Moçambique Fora-de-Jogo


World Cup South Africa, Portugal fan.

World Cup South Africa, Portugal fan.

Expectativas de "invasão" de turistas longe da realidade

Em Outubro de 2008, Ministros do Turismo dos países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral reuniram-se em Sandton, uma zona luxuosa dos arredores da cidade sul-africana de Johannesburgo.

Organizada pelas autoridades sul-africanas, a conferência visava criar as bases para o lançamento de um programa cujo objectivo central era juntar esforços de modo a garantir que todos os países da região Austral africana pudessem assumir e tirar proveito, o máximo possível, das oportunidades de negócio criadas pelo facto de a África do Sul acolher o Campeonato Mundial de Futebol.

Nessa altura, as previsões apontavam para a possibilidade de a África do Sul receber entre quinhentos e seiscentos mil visitantes, em resultado da realização da copa do Mundo.

E porque os sul-africanos diziam não ter capacidade para alojar toda essa gente, ficou assente que cada país interessado, aqui, da região, iria receber os outros turistas.

A expectativa de Moçambique era a de receber pelo menos dez por cento daquele número, isto é, entre cinquenta e sessenta mil turistas.

A FIFA fez, inclusivamente, reservas e o sector hoteleiro moçambicano teve que trabalhar de forma a assegurar que todas as condições exigidas pela Federação Internacional de Futebol fossem criadas.

Foi assim que muitas das unidades hoteleiras começaram a fazer obras. Alguns hotéis foram sendo construídos de raíz, outros sofreram melhorias significativas.

Foram investidos vários milhões de dólares americanos.

Um investimento que, agora, muitos estão arrependidos de ter feito.

É que, ao que tudo indica, os turistas já não virão.

Mesmo a África do Sul já não deverá receber tantos visitantes como incialmente se esperava. Lucas Chachine Presidente do Pelouro do Turismo na Confederação das Associações Económicas de Moçambique falou à voz da America bem como o Presidente da Associação de Hotéis do Sul de Moçambique Quessanias Matsombe. Ouça as suas declarações

Os operadores turísticos estão muito preocupados, mas o governo procura acalmá-los.

Quando soube que a África do Sul iria acolher o Campeonato Mundial de Futebol, o executivo de Maputo aprovou uma estratégia, em Setembro de 2007, e criou um gabinete específico para pôr em prática tal estratégia que, na essência, tinha como missão única aproveitar as oportunidades criadas pela prova que arranca já nesta sexta-feira, na África do Sul.

E foi nesse âmbito que inúmeros projectos públicos, como a modernização e ampliação do Aeroporto Internacional de Maputo, bem como a construção, de raíz, do maior Estádio de Futebol, nos arredores da capital moçambicana, começaram a ganhar corpo.

O Gabinete Técnico do Mundial 2010 diz ter feito tudo o que estava a seu alcance para atrair turistas para Moçambique, durante este período. Ouça as declarações de Nuno Fortes, Assistente Executivo do Gabinete Técnico do Mundial 2010.

Os operadores turísticos reconhecem que o governo fez muito, mas criticam as autoridades moçambicanas por não terem conseguido pelo menos trazer uma selecção que fosse para estágios pre-competitivos de preparação para o Mundial, à semelhança do que aconteceu com outros países aqui da SADC. Ouça as declarações de Quessanias Matsombe



XS
SM
MD
LG