Links de Acesso

Moçambique: Novo plano para exploração de gás natural

  • William Mapote

Torre de exploração de gás natural (foto de arquivo)

Torre de exploração de gás natural (foto de arquivo)

Estão previstos investimentos de mais de 50 mil milhões de dólares no sector

O governo moçambicano apresentou hoje o plano director do sector do gás natural. Trata-se de um plano que vai definir as estratégias de desenvolvimento deste sector tendo em conta as descobertas que continuam a ocorrer no Bloco do Rovuma.
O governo pretende assim “maximizar os benefícios económicos e sociais resultantes das enormes reservas nacionais deste recurso com o mínimo de investimento possível.
Para o primeiro-ministro, Aires Ali, a estratégia deve passar pela maximização dos rendimentos e minimização dos custos nacionais neste sector.
Dados actualizados indicam que só na bacia do Rovuma, Moçambique possui reservas confirmadas de mais de 100 triliões de pés cúbicos de gás natural, cuja exploração está prevista para 2018.
Informações oficiais indicam que os operadores prevêem investimentos de mais de 50 mil milhões de dólares para o desenvolvimento de uma cadeia de valor que inclui a implantação de uma indústria de produção e de regaseificação.
Para o governo, os investimentos em perspectiva devem ter em conta a sustentabilidade da exploração do recurso, para que mais moçambicanos sejam beneficiados.
“Trata-se de um recurso natural não renovável cuja exploração com eficiência e de forma sustentável para o bem das nossas populações é irrevogável” realçou Aires Ali, na abertura oficial do primeiro workshop sobre o plano director.
Laurence Clarke, representante residente do Banco Mundial em Moçambique, prometeu apoio total da sua instituição, para fazer do plano em perspectiva, um instrumento do desenvolvimento do país.
O Banco Mundial está a preparar um projecto de assessoria ao sector do gás natural, para a apoiar os planos do governo moçambicano, e para melhor desenvolver o sector", disse Clark.
XS
SM
MD
LG