Links de Acesso

Moçambique: Faculdade de Medicina exige que alunos acabem com greve

  • William Mapote

Trata-se de meia centena de estudantes já em processo de estágio que decidiram juntar-se aos médicos em exercício solidarizando-se a greve.

Em Moçambique, a Faculdade de Medicina da Universidade Eduardo Mondlane acaba de entrar em cena no diferendo que opõe os médicos e o governo moçambicano.

A faculdade de medicina, apelou aos seus estudantes, em fase de estágios nos hospitais, para que abandonem de imediato a greve sob risco de implicações no seu ano lectivo.


Através de um comunicado da sua direcção, a Faculdade de Medicina, a única que ao nível nacional forma médicos para o Sistema Nacional de Saúde apela os seus estudantes, em fase de estágios nos hospitais, para abandonarem de imediato a greve, e prosseguirem com as aulas práticas nas unidades sanitárias, sob risco de implicações no seu ano lectivo.

Estão neste grupo cerca de meia centena de estudantes já em processo de estágio profissional, que decidiram juntar-se aos médicos em exercício, solidarizando-se a greve.

A Associação Médica considera a decisão da Faculdade de Medicina uma estratégia de alinhamento com o governo e vêm-na como uma intimidação aos médicos estagiários.

Através de um comunicado, a associaçao médica considera a adesão dos estagiários, uma acção legítima uma vez que este são membros da associação e da ordem dos médicos.

No seu comunicado, dizem ainda que a solidariedade é uma norma contida no Código Deontológico da agremiação e apelam à Faculdade de Medicina para cessar as intimidações.

Com a greve no quinto dia, as partes continuam irredutíveis nas suas posições, contudo, ao nível do Ministério da Saúde, acredita-se que os médicos grevistas não irão aguentar-se em greve durante muito mais tempo.

Numa ronda realizada por algumas unidades sanitárias da cidade de Maputo, os utentes falam de demora no tempo de espera pelo atendimento, contudo, a situação ainda não se faz sentir com muita intensidade dada o reduzido fluxo de pessoas pedindo tratamento hospitalar.
XS
SM
MD
LG