Links de Acesso

Morreu Eusébio

  • Redacção VOA

Três estrelas do futebol de sempre (da esquerda para a direita) Alfredo Di Stefano, Eusébio e Ronaldo.

Três estrelas do futebol de sempre (da esquerda para a direita) Alfredo Di Stefano, Eusébio e Ronaldo.

Mundo presta homenagem ao "Pantera Negra," um dos maiores futebolistas de sempre. Portugal decreta três dias de luto nacional.

A morte do futebolista luso-moçambicano Eusébio está a provocar reacções através do mundo.

Eusébio da Silva Ferreira, tido como um dos maiores futebolistas do mundo e o maior de sempre da selecção de Portugal, morreu domingo de manhã em Lisboa aos 71 anos de idade devido a uma paragem cardio-respiratória.

O governo português decretou três dias de luto nacional.

O presidente português Anibal Cavaco Silva descreveu Eusébio como “um dos filhos mais queridos “ de Portugal: "Portugal perdeu hoje um dos seus filhos mais queridos: Eusébio da Silva Ferreira", afirmou Cavaco Silva.

Pedindo para que se siga o exemplo de Eusébio enquanto desportista e ser humano, Cavaco Silva lembrou o "campeão que trabalhou e lutou para alcançar tantas vitórias", e "uma pessoa que manteve com os outros uma relação calorosa, de afecto e de respeito mútuo".

Em Moçambique, onde nasceu e começou a sua carreira de futebol, a primeira reacção veio do seu antigo companheiro de equipa do Benfica e da selecção de Portugal Mário Coluna

O "capitão", como era conhecido, disse que a morte de Eusébio, que "tinha como um filho", é triste para o futebol mundial e para Moçambique, uma vez que o "pantera negra", como era conhecido, também "representava o desporto moçambicano".

Os dois jogadores partilharam ainda o terceiro lugar da seleção portuguesa no Campeonato Mundial de Futebol de 1966, disputado na Inglaterra.

Coluna regressou a Moçambique após a independência mas Eusébio escolheu ficar em Portugal mas Coluna disse considerar Eusébio como moçambicano.

O presidente da Federação Internacional de Futebol, FIFA Joseph Blatter disse que o "o futebol perdeu uma lenda" com a morte de Eusébio, mas garantiu que o ex-jogador do Benfica figurará sempre entre os grandes do desporto mundial.

"O futebol perdeu uma lenda. Mas o lugar de Eusébio entre os grandes nunca lhe será tirado", escreveu o líder máximo do futebol mundial na sua conta da rede social twitter.

Num outro comentário no twitter, Sepp Blatter escreve que "Eusébio era um embaixador do futebol e da FIFA", que "vai fazer muita falta".

"Descansa em paz pantera negra", conclui o presidente da FIFA, na sua mensagem na internet.

Por seu turno o presidente da Federação Angolana de Futebol, Pedro Neto disse que a morte de Eusébio representa a perda de "um dos ícones do futebol mundial".

"É um momento de bastante tristeza, na medida em que se perdeu um dos ícones do futebol mundial. Estrela mais cintilante do futebol português e, quiçá, que tenha passado pelas fileiras do Benfica e por todos estes motivos, por todos estes atributos, acredito que o futebol está mais pobre, vai ficar mais pobre", disse à agência de notícias portuguesa Lusa Pedro Neto, para quem a melhor forma de se homenagear Eusébio é "seguir o seu exemplo".

Por seu lado, José da Cunha, Director Geral do Desporto da Guiné Bissau considerou que a morte do Eusébio entristece a todos os africanos sobretudo os que se expressam em língua portuguesa.

"Eusébio era uma figura maior, a sua morte entristece a todos nós africanos, sobretudo aqueles que falam a língua portuguesa", observou José da Cunha, antigo internacional de futebol guineense.

O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, lamentou hoje a morte de Eusébio, considerando que se trata de "um dia triste para a futebol português e mundial".

"Hoje é um dia triste para o futebol português e mundial. As minhas sinceras condolências à família de Eusébio e a todos os portugueses", lê-se numa mensagem de Durão Barroso publicada no ’Twitter'.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG