Links de Acesso

Moralidade em debate em Angola

  • Redacção VOA

Assembleia Nacional, Angola

Assembleia Nacional, Angola

MPLA leva o assunto ao Parlamento, mas especialistas advertem que "moralidade não se pode legislar".

O partido no poder em Angola, MPLA, diz pretender resgatar os valores éticos e morais no seio da sociedade e vai levar o assunto a debate na Assembleia Nacional esta Sexta-feira.

Especialistas consideram, no entanto, que a moralidade não pode ser legislada e que o exemplo deve partir da família e dos adultos, que já tiveram estes valores, no passado, mas que ao longo dos anos perderam-nos e tentaram inculcar uma educação fora da família.

O padre Belmiro Chissengueti é peremptório ao dizer que foram os adultos que contribuíram para a degradação dos valores éticos e morais no país.

“São os adultos que abandonam os filhos, geram-nos e não os criam, são polígamos e têm filhos dispersos", afirmou Chissengueti, acrescentando que a comunicação social deve ser a outra componente no resgate nos valores cívicos e morais ao invés de “promover a prostituição”.

Carlinhos Zassala

Carlinhos Zassala

Por seu turno, o psicólogo Carlinhos Zassala também considera que são os adultos os principais fomentadores dos hábitos que contrariam a convivência social e familiar responsável e sã.

“Respeitar a filha do outro faz parte dos valores do povo bantu mas aqui os adultos promovem o fenómeno “catorzinhas”, acusou.

O académico reforçou que o resgate dos valores cívicos e morais não se faz por decreto e apontou as escolas como outros lugares onde estes valores devem ser ensinados.

O MPLA, no entanto, entende que o resgate desses valores deve começar pela aplicação das leis penais para conter actos negativos, mas sobretudo pelo contributo de todas as sensibilidades do país.

XS
SM
MD
LG