Links de Acesso

Moçambique: Tensão sobe, turismo sofre

  • Simião Pongoane

Elementos da Renamo treinando em Novembro de 2012

Elementos da Renamo treinando em Novembro de 2012

Polícia expulsou no fim-de-semana elementos da Renamo acampados em Muxungue junto à única via que liga o Norte ao Sul do país.

O diálogo político entre o governo e a Renamo para a preservação da paz continua a marcar passo com as duas partes a defenderem radicalmente as suas respectivas posições na questão da revisão da lei eleitoral.
A Renamo, que exige paridade numérica com a Frelimo na Comissão Nacional de Eleições, quer que o governo assuma o assunto em debate no diálogo, assinando e levando o documento sobre a revisão da lei eleitoral ao Parlamento, mas a delegação do executivo recusa, afirmando que não quer violar o princípio da separação de poderes preconizado pela Constituição.

Enquanto não houver acordo no diálogo técnico, o encontro Guebuza-Dhlakama não pode acontecer. No terreno os nervos exacerbam-se.

No último sábado, as Forças de Defesa e Segurança destruíram 53 cabanas dos homens armados da Renamo perto do posto administrativo de Muxungue, distrito de Chibabava, em Sofala. Não houve troca de tiros, mas o líder da Renamo não gostou da atitude das forças do governo e reportou o incidente aos chamados facilitadores do diálogo Guebuza e Dhlakama, que estiveram ontem em Santungira.

Os guerrilheiros da Renamo aperceberam-se da movimentação das forças do governo e saíram das cabanas, evitando combates.

A polícia diz que os guerrilheiros usavam as cabanas agora destruídas como bases para semear medo e insegurança no troço da estrada Rio Save-Muxungue, da única via que liga o país do Norte a Sul. A Renamo poderá exercer represálias um dia.

Entretanto, os operadores turísticos de Inhambane, considerada a província mais turística do País já estão a somar prejuízos com a tensão política prevalecente.
Segundo Jose Cunha, da Associação dos Operadores Turísticos de Inhambane, pelo menos 11 mil turistas cancelaram as reservas nos estabelecimentos hoteleiros por causa da insegurança.
XS
SM
MD
LG