Links de Acesso

Moçambique: MDM queixa-se de perseguição em Nampula

  • Faizal Ibramugy

Campanha eleitoral do MDM

Campanha eleitoral do MDM

Aquele partido diz que diariamente uma dezena de apoiantes são ouvidos pela polícia e alguns deles acabam sendo detidos.

O Movimento Democrático de Moçambique, MDM, na província de Nampula, acusou hoje, 6, as forças de Segurança de Moçambique de estarem a perseguir e torturar os membros daquele movimento na sequência do incidente de 25 de Setembro envolvendo uma caixa de papelão com o formato de um caixão e com fotos do candidato presidencial do partido no poder, Filipe Nyusi, que os militantes daquela formação política exibiram nas ruas de Nampula.

Segundo o MDM está a intensificar-se cada vez mais, a caça às bruxas, na cidade de Nampula, com intimações diárias aos membros do MDM pela Policia de Investigação Criminal para poderem prestar depoimentos, facto que ocorre desde passado dia 25 de Setembro de 2014, altura em que os seus militantes desfilaram com o caixão

Diariamente uma dezena de apoiantes são ouvidos pela polícia e alguns deles acabam sendo detidos, acrescenta o MDM num comunicado que também altas personalidades do partido estão a ser intimadas para prestar depoimentos, tendo até à presente data, sido ouvido entre outros, o candidato à Assembleia da República, Fernando Bismarque, e notificados para serem ouvidos nesta Segunda-feira, o Delegado do MDM na cidade e a Chefe da Mobilização.

Segundo o Movimento de Daviz Simango em Nampula, os agentes da PIC, nessas suas ilegalidades, foram até ao Hospital Central de Nampula, interrogar um dos seus membros que ali se encontra internado. "Isto quer dizer, um doente internado numa unidade sanitária e sem a presença de advogado, é também perseguido pela PIC, para responder sobre o caixão", diz o jurista do caso, Momade Ussene.

Elementos do MDM em Nampula apresentaram-se com um caixão com fotos do candidato Nyusi com uma bandeira da Frelimo em cima. Moçambique, Set. 2014

Elementos do MDM em Nampula apresentaram-se com um caixão com fotos do candidato Nyusi com uma bandeira da Frelimo em cima. Moçambique, Set. 2014

Recorde-se que este conflito iniciou-se no decurso das comemorações do dia 25 de Setembro quando militantes do MDM, no âmbito das actividades da sua campanha eleitoral, marcharam pacificamente pelas artérias da cidade, em direcção ao Bairro de Muatala, onde estava programada a realização de um comício popular. O seu trajecto, incluía passar pela Praça dos Heróis Moçambicanos.

A referida caravana transportava uma caixa de papelão com o formato de um caixão e com imagem do candidato do partido Frelimo, Filipe Nyusi. Ao aproximar-se da Praça, logo que os agentes policiais viram a caixa, atacaram a caravana, facto que gerou confrontos entre os integrantes da caravana e os agentes da PRM e posteriormente da Força de Intervenção Rapida, FIR.

A multidão reagiu arremessando pedras e a polícia ripostou disparando gás lacrimogéneo. Nos confrontos registaram-se vários feridos que foram assistidos no hospital local. Foram detidos na ocasião três jovens, membros do MDM.

Entretanto, na semana passada ainda em Nampula, a Frelimo interrompeu a campanha da Renamo, mas a polícia deteve membros da oposição.

Tudo começou quando membros da Renamo faziam campanha no mercado de Waresta na cidade de Nampula, onde teriam sido impedidos por membros da Frelimo, o que resultou em pancadaria. Um indivíduo contraiu ferimentos graves. Oito pessoas foram detidas, todos da Renamo.

A Renamo mais uma vez, acusou igualmente a PRM de ter sido parcial, saindo em defesa dos membros da Frelimo e espancando os membros da Renamo. Cinco membros da perdiz foram libertos, mas três continuam a ver o sol aos quadradinhos.

De salientar que depois dos três candidatos à presidência da República terem aberto a sua campanha em Nampula, estes mais uma vez regressam. Daviz Simango do MDM está a trabalhar no maior círculo eleitoral deste o domingo passado. Ainda não há informações oficiais, mas ao que tudo indica Filipe Nyussi e Afonso Dhlakama deverão novamente escalar Nampula antes do fim da campanha eleitoral.

Nampula é o maior e mais importante círculo eleitoral de Moçambique e deverá eleger 47 deputados à Assembleia Nacional.

XS
SM
MD
LG