Links de Acesso

Moçambique/Eleições 2014 – Nyusi, o candidato presidencial da FRELIMO

  • Ramos Miguel
  • Redacção VOA

Moçambique Eleições 2014: Campanha de Filipe Nyusi (em Mocuba/Província da Zambézia)

Moçambique Eleições 2014: Campanha de Filipe Nyusi (em Mocuba/Província da Zambézia)

A sua escolha surpreendeu muitos, é um homem do Norte, mas respondeu a muitos outros que achavam que a FRELIMO devia deixar de escolher apenas candidatos do sul

Nascimento – 9 Fevereiro de 1959
Localidade: Distrito da Mueda, Província Cabo Delgado

Profissão - Engenheiro

Estudou Engenharia mecânica (Antiga Checoslováquia) e Gestão (Universidade Machester, Grã-Bretanha)

Nyusi trabalhou na gestão dos Caminhos-de-Ferro e Portos de Moçambique, presidiu ao Ferroviário de Nampula, leccionou na Universidade Pedagógica (campus de Nampula). Quando foi escolhido para candidato presidencial pela FRELIMO (Março 20140 era Ministro da Defesa.

Quem é Filipe Nyusi?

Numa escolha surpreendente e que terá desapontado algumas pessoas, a Frente de Libertação de Moçambique-FRELIMO, escolheu Filipe Nyusi, o primeiro homem do norte do País, como seu candidato às eleições presidenciais de 15 de Novembro próximo, contrariando uma prática em que todos os candidatos frelimistas eram do sul.

Há muito que destacadas figuras da FRELIMO originários do norte, entre os quais os generais Alberto Chipande, Raimundo Pachinuapa e Eduardo da Silva Nihia, entre muitos outros, vinham reclamando por um candidato a Presidente da República que não fosse do sul.

E numa escolha surpreendente a FRELIMO, o partido no poder, escolheu Filipe Nyusi, um jovem maconde, para disputar as presidenciais com outros candidatos da oposição.

A escolha foi numa eleição interna do Partido em que Nyusi venceu figuras preponderantes como Luísa Diogo e Aires Aly, ambos antigos primeiros-ministros,

Nyussi nasceu a 29 de Fevereiro de 1969, no distrito de Mueda, na província nortenha de Cabo Delgado, o berço da luta armada de libertação nacional.

Quadro extremamente profissional dos Caminhos de Ferro de Moçambique desde 1992, Nyusi acumulou experiência de bom gestor que o levou ao cargo de Administrador-Executivo da empresa, entre 2007 e 2008, altura em que foi nomeado Ministro da Defesa Nacional.

Juntou-se à FRELIMO, na Tanzânia, quando ainda tinha 10 anos e foi lá onde cresceu, tendo características de um bom líder e bom gestor, qualidades essas demonstradas sobretudo quando foi administrador dos Caminhos de Ferro de Moçambique.

Quando chega ao Governo, Nyusi ataca o problema da logística das forças armadas moçambicanas, e conta com a confiança política que inspira para melhorar aspectos ligados aos quartéis, casernas e até fardamento, sendo hoje visíveis militares bem fardados, um pouco por todo o País.

Nos meios politizados moçambicanos diz-se que esta escolha desapontou algumas pessoas, porque Filipe Nyusi, não é um histórico de Frelimo e é pouco conhecido entre o eleitorado, apesar de o engenheiro civil formado na antiga Checoslováquia ter sido Ministro de Defesa Nacional entre 2008 e início de 2014.

Nyusi tem desafios com o desemprego, sobretudo da juventude, com o estabelecimento da indústria transformadora, com a criação de melhores condições que atraiam o investimento, ou seja, com um crescimento económico que garanta o bem-estar para os moçambicanos.

XS
SM
MD
LG