Links de Acesso

Moçambique – Eleições 2014 – Daviz Simango, candidato presidencial MDM

  • Ramos Miguel
  • VOA Português

Daviz Simango

Daviz Simango

Nascido numa família de políticos, o presidente camarário da Beira concorre pela segunda vez à presidência pelo MDM

Nascimento – 7 Fevereiro 1964
Localidade: Tanzânia
Profissão – Engenheiro Civil
Ocupação – Presidente Camarário da Beira, Politico, Presidente do Movimento Democrático de Moçambique

Simango aderiu à Renamo em 1997 e como candidato deste partido concorreu com sucesso à presidência da camara da Beira em 2003. Em Março de 2009, Daviz Simango fundou o novo partido MDM, pelo qual concorreu como candidato presidencial nas eleições de Outubro de 2009.

Quem é Daviz Simango?


O Movimento Democrático de Moçambique-MDM, escolheu Daviz Simango, como o seu candidato às eleições Presidenciais de 15 de Outubro próximo, um jovem tido como incómodo tanto para a Resistência Nacional Moçambicana-RENAMO como para a Frente de Libertação de Moçambique-FRELIMO, e que em 2008, tornou vitoriosa a primeira candidatura independente a um município moçambicano.

Actual Presidente do Conselho Municipal da Beira e do MDM, Daviz Simango nasceu a 7 de Fevereiro de 1964, e a sua aposta é chegar á Presidência da República, no âmbito do projecto do seu Partido "Moçambique Para Todos".

Quis o destino que Simango nascesse numa família de políticos, pois, o seu pai, Uria Simango foi vice-presidente da FRELIMO, o qual foi morto sob acusação de traição, a mãe, Celima Muchanga, também militante da FRELIMO, e um irmão, Lutero Simango, que é deputado da Assembleia da República pelo MDM.

Licenciado em engenharia civil pela Universidade pública moçambicana Eduardo Mondlane, Simango foi membro do extinto Partido da Convenção Nacional-PCN, e em 1977 juntou-se á RENAMO, Partido pelo qual se tornou, em 2003, Presidente do Conselho Municipal da Beira, a segunda maior cidade do País.

Na RENAMO, Daviz Simango chegou a ser considerado um delfim do Presidente deste Partido, Afonso Dhlakama. Em 2008, Simango era o candidato natural á sua própria sucessão nas eleições municipais, mas a Renamo optou por nomear para o município da Beira um dos seus deputados na Assembleia da República como seu candidato.

Isso fez com que um grupo de militantes da Renamo iniciasse uma campanha para a candidatura independente de Daviz Simango, o que veio a ser oficializado no dia 05 de Setembro. Nas eleições de 15 de Novembro foi reeleito com mais de 60 porcento dos votos.

E foi em Março de 2009 que Simango apresentou o seu Partido - o MDM, na cidade da Beira, altura em que também foi eleito Presidente desta formação política, a terceira no parlamento moçambicano, onde ocupa oito dos 250 assentos.

Simango é considerado uma figura com prestígio e viu a sua governação na cidade da Beira ser reconhecida pela revista sul-africana Profissional Management Rexiew-Africa, considerando-o melhor presidente de município de Moçambique, em 2006.

No seio do MDM, Simango é visto como uma pessoa que projecta uma imagem de humildade e liderança, e talvez tenha sido por isso que escapou ileso de um atentado quando se preparava para dirigir um comício, na província nortenha de Nampula.

Tal como foi anunciado na altura, o atentado foi da autoria de elementos da RENAMO, um Partido no qual Daviz Simango é considerado traidor, traidor não só por ter formado o seu próprio Partido, mas, sobretudo, por ter atraído muitos membros da Renamo para o MDM.

E há mesmo quem assevere que quem mais tira o sono a Dhlakama é Daviz Simango e não os outros adversários da RENAMO.

XS
SM
MD
LG