Links de Acesso

Moçambique: Alegadas irregularidades nas eleições municipais (Com Vídeo)

  • Simião Zefanias

Polícia patrulhando as ruas de Quelimane

Polícia patrulhando as ruas de Quelimane

A votação foi marcada pela abstenção, depois da afluência registada nas primeiras horas

Em Moçambique,encerraram as urnas para as eleições municipais intercalares de Quelimane, Cuamba e Pemba,com mais de 270 mil eleitores inscritos. As eleições decorreram sem incidentes,apesar de alegações de que se terão registado várias irregularidades.O processo de contagem de votos começou logo depois do encerramento das urnas e pode prolongar-se até amanhã.

No final do dia, a votação foi marcada pela abstenção, depois da afluência registada nas primeiras horas.De facto, quase perto do encerramento das urnas, a afluência melhorou um pouco, mas sem grande expressão, a avaliar pelo número de eleitores registados para estas eleições.O escrutínio foi acompanhado por 326 observadores, dois quais 22 estrangeiros.

A votação desta quarta-feira decorreu simultaneamente em Quelimane,a quarta maior cidade de Moçambique;Pemba, capital da Província de Cabo Delgado;e Cuamba, a segunda maior cidade da província do Niassa. As eleições foram foram suscitadas pela renúncia dos seus respectivos presidentes,alegadamente por pressões do seu partido,FRELIMO, pelo qual tinham concorrido nas municipais de 2009.

A televisão pública, único canal com capacidade técnica de cobrir os principais centros urbanos em tempo útil, mostrou, ao longo do dia, cenários de assembleias de voto com poucos eleitores.
Em Quelimane,município com maior número de incritos,os oficiais do Secretariado Técnico de Administração Eleitoral,STAE, disseram que as pessoas tinham preferido ir aos seus respectivos campos agrícolas, deixando votação para mais tarde.

A FRELIMO, partido no poder, e o MDM, a terceira maior força política do país, concorreram nos três municípios, enquanto o PAHUMO, disputa a eleição em Pemba. A RENAMO, o principal partido da oposição,não participou no escrutínio por prever uma alegada fraude a favor da FRELIMO.

As eleições municipais intercalares de Quelimane foram as mais disputadas.No terreno, foram referidas diversas irregularidades,nomeadamente ao nível dos cadernos eleitorais,o que impediu o exercício do direito de voto a inúmeros cidadãos. O Filipe Vieira falou, a propósito com o jornalista António Zefanias, director do “Diário da Zambézia”. Zefanias acompanhou a votação em diversas assembleias de voto.

De acordo com uma postagem feita no Youtube,no posto de votação da Escola Secundária AMA 2, em Pemba, eleitores revoltaram-se porque os seus nomes não constavam nas listas existentes e ninguém conseguiu explicar como resolver o problema.Ver o link nesta página.

XS
SM
MD
LG