Links de Acesso

Moçambique continua a crescer apesar da queda dos preços de petróleos e matérias-primas

  • Redacção VOA

Metical, moeda de Moçambique

Metical, moeda de Moçambique

Conclusão é da consultora Eaglestone.

A descida do preço das matérias-primas, nomeadamente alumínio e carvão, e a redução do investimento directo estrangeiro vão impedir Moçambique de manter taxas de crescimento acima de 7% nos próximos anos.

A conclusão é da consultora sul-africana Eaglestone que, num relatório sobre Moçambique, diz que, apesar dessas ameaças, são boas as perspectivas de evolução do país.

"A perspetiva de longo prazo para Moçambique continua positiva principalmente devido aos projectos de gás natural, que deverão começar no final da década", lê-se no documento que aponta para um abrandamento da economia de 7,2 por cento em 2014 para entre 6 e 6,5 por cento no ano passado e neste ano.

Esse abrandamento, diz a Eaglestone resulta da descida do preço das matérias-primas e do abrandamento do investimento directo estrangeiro, “que é ainda superior à média da África subsaariana.

A consultora lembra que foram anunciados recentemente pelo Governo contratos de investimentos na ordem dos 30 mil milhões de dólares.

A Eaglestone alerta, no entanto, para o aumento significativo da dívida pública, apesar de o Governo financiar 58 por cento das suas despesas através de receitas fiscais.

Fundada em 2011, a Eaglestone desenvolve consultoria e assessoria a projectos de energia em África e tem escritórios em Lisboa, Londres, Luanda, Maputo, Cidade do Cabo, Amsterdão e Joanesburgo.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG