Links de Acesso

Moçambique: Consumidores revoltam-se contra "Shoprite"

  • William Mapote

Vista de Maputo

Vista de Maputo

A Associação Moçambicana dos Direitos do Consumidor (DECOM) está a exigir repercussões duras contra a rede de supermercados Shoprite que foi obrigada a encerrar temporariamente três lojas em Maputo devido à venda de produtos fora do prazo de validade.
O representante dos consumidores nacionais considera que a Shoprite, uma cadeia de capitais sul-africanos, é reincidente em casos de género, que atentam à saúde e que, por isso, deve ser fortemente penalizada em nome do respeito pelos cidadãos.

Como medida punitiva, o governo obrigou ao encerramento, por dois dias, dos supermercados de Maputo, Matola e Boane, os maiores da cadeia Shoprite em Moçambique, para retirar todos os produtos considerados impróprios para o consumo.

Esta é a primeira medida estabelecida pelo governo, através do Ministério da Indústria e Comércio contra aquele grupo. Contudo, mais penalizações poderão ser aplicadas.
Não foi possível obter a reacção do Shoprite. Das tentativas que fizemos, fomos informados que qualquer informação à imprensa seria dada pela direcção geral do grupo, baseada na África do Sul.

A venda de produtos fora do prazo vendidos com a rotulagem viciada e fast foods preparados com base em produtos considerados impróprios e atentatórios à saúde pública já atingiram níveis preocupantes nos últimos anos, contudo, desde o ano passado que estatísticas revelam grande redução como resultado da consciencialização social.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG