Links de Acesso

Moçambicanos retaliam sul-africanos

  • Redacção VOA

Centro de refugiados em Durban

Centro de refugiados em Durban

Pessoas armadas atacam autocarro e primeiros refugiados moçambicanos chegam da África do Sul.

Dois autocarros transportadora sul-africana Translux foram atacados hoje, 17, por desconhecidos no distrito de Moamba, no sul de Moçambique, por cerca de 50 pessoas, munidas de facas, catanas e paus.

Aos gritos “Moçambicanos voltem”, os atacantes bloquearam os autocarros e quebraram o pára-brisas do mesmo.

A polícia moçambicana interveio e impediu que os ocupantes do autocarro fossem atacados, apesar das ameaças.

Na sequência desse incidente, que é uma retaliação aos ataques contra moçambicanos na África do Sul, a empresa Translux suspendeu as viagens entre os dois países.

Por outro lado, a multinacional Sasol decidiu repatriar 340 sul-africanos que trabalham em Inhambane depois dos seus colegas moçambicanos terem manifestado ontem, 16, contra a sua presença no país.

A companhia de combustíveis sintéticos anunciou também que interrompeu as suas operações temporariamente em Moçambique.

O Governo de Moçambique iniciou ontem a repatriação dos seus cidadãos que quiseram abandonar a África do Sul.

O primeiro grupo de 107 moçambicanos, entre eles 22 crianças, chegou esta madrugada a um campo para refugiados em Boane, na província de Maputo.

Segundo o correspondente da VOA na África do Sul, 600 moçambicanos procuraram abrigo, nos últimos dias, nos centros de acolhimento na região sul-africana de Durban.

Na África do Sul, a polícia sul-africana disparou hoje balas de borracha e uma granada de efeito moral para dispersar um grupo de imigrantes africanos armados com facões num bairro degradado do leste de Johanesburgo, disse um fotógrafo da Reuters.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG