Links de Acesso

Moçambicanos presos com milhões na África do Sul aguardam julgamento em liberdade

  • Redacção VOA

Pagaram fiança e devem apresentar-se duas vezes por semana às autoridades.

O tribunal de Mpumalanga, na África do Sul, libertou sob fiança os dois moçambicanos presos no dia do Natal com cerca de sete milhões de dólares não declarados na fronteira.

A notícia foi avançada nesta quarta-feira em Maputo pelo porta-voz da Polícia da República de Moçambique (PRM) Inácio Dina, adiantando fianças de 10 mil dólares para um e mil e 200 dólares apra o outro.

No encontro semanal com a imprensa, Dina revelou que os dois moçambicanos devem apresentar-se às autoridades duas vezes por semana.

Assane Momad, de 50 anos de idade, e Abdul Ahmed, de 37 anos, foram presos no lado sul-africano da fronteira do Lebombo com cerca de sete milhões de dólares em notas de euros, dólares e rands sul-africanos.

Ambos são acusados de fraude, lavagem de dinheiro e posse de propriedade roubada.

Entretanto, o porta-voz da unidade especial da polícia sul-africana Hawks, o brigadeiro Hangwani Mulaudzi, admitiu, logo após a prisão, que o dinheiro podia destinar-se a activistas terroristas.

Outra pista seguida pela polícia sul-africana é que o valor pode ter sido obtido a partir de resgates dos vários sequestros que assolam, desde 2011, as principais cidades moçambicanas, em particular Maputo e Matola.

Os valores e os bens apreendidos continuam na posse das autoridades sul-africanas enquanto continuam as investigações.

XS
SM
MD
LG