Links de Acesso

Ministro são-tomense acusa magistrados de serem responsáveis pela criminalidade

  • Óscar Medeiros

Tribunal de São Tomé e Príncipe

Tribunal de São Tomé e Príncipe

Roberto Raposo afirma que o pior que pode apontecer é dar poder a ignorantes em referência aos juízes.

Em São Tomé e Príncipe está instalado um grave conflito institucional entre o Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos e os órgãos judicias do país.

Ao intervir num debate sobre o aumento da criminalidade e a reforma da justiça na primeira Comissão Especializada da Assembleia Nacional, o ministro da Justiça Roberto Raposo proferiu duras criticas aos magistrados judiciais.

“Os magistrados são os principais responsáveis pela situação actual da justiça e do aumento da criminalidade no país”, acusou Raposo que lembrou que os juízes são “inamovíveis e têm salário a tempo, carro e ar condicionado”.

O Governo, diz o titular da pasta da Justiça, vai propor “multas pecuniárias aos juízes que decidirem mal”.

Durante a sua intervenção, Roberto Raposo advertiu, no entanto, para não se brincar com os magistrados e que “o pior que pode acontecer é dar poder a ignorantes”.

O presidente do Supremo Tribunal de Justiça e o Procurador-Geral da República não estiveram no debate.

Ainda não há reacção dos juízes.

XS
SM
MD
LG