Links de Acesso

Ministério Público pede penas de prisão para desmobilizados das FALA

  • Redacção VOA

Julgamento será retomado a 2 de Março

Julgamento será retomado a 2 de Março

São acusados de atentado contra o Presidente da República

O Ministério Público angolano pediu na quinta-feira, 23, a condenação de 30 réus por atentarem contra o Presidente da República.

As penas vão de seis a oito anos e meio de prisão efectiva por, segundo a acusação, terem ficado "parcialmente provados" os crimes de posse ilegal de armas, associação de malfeitores, rebelião, atentado contra o Presidente da República e falsificação de documentos.

O procurador encarregue do caso pediu a absolvição de quatro réus, enquanto dois estão a monte e um não foi julgado por problemas mentais.

A defesa

Os réus são, na sua maioria, militares desmobilizados das FALA, o braço armado da UNITA durante a guerra civil, e foram presos a 31 de Janeiro de 2016.

O advogado de defesa Sebastião Assureira diz que eles apenas queriam manifestar-se para exigir a sua inserção na caixa social das Forças Armadas angolanas.

“Todos eles confirmam que vieram das províncias para pacificamente se manifestarem para serem inseridos na caixa social”, garantiu Assureira à VOA no início do processo.

Na altura, o advogado afirmou que “apenas três dos 37 arguidos podiam ser "condenados por posse de armas e falsificação de documentos”.

O julgamento será retomado a 2 de Março com a apresetnação dos quesitos finais.

A sua Opinião

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG