Links de Acesso

Contestação eleitoral provoca luta entre militantes da UNITA e do MPLA


Polícia em acção no Bié (Foto de arquivo VOA)

Polícia em acção no Bié (Foto de arquivo VOA)

Tudo aconteceu na aldeia de Kassola no município de Catabola no Bié, e os membros da UNITA foram presos pela polícia

A impugnação dos resultados eleitorais de 31 de Agosto resulta em pancadaria entre militantes da UNITA e do MPLA e na detenção de dois membros do maior partido na oposição no Bié.

Uma testemunha disse à Voz da América que o incidente ocorreu no dia 17 de Setembro, na Aldeia de Kassola, município da Catabola. Uma dezena de apoiantes MPLA insurgiram-se contra dois membros do Galo Negro alegando que as reclamações apresentadas por aquela partido na oposição ao Tribunal Constitucional não alteraria os resultados eleitorais e prometeram represálias.

De acordo com testemunho de Daniel Aires Sawandi à VOA, na troca de palavras os militantes da UNITA agrediram membros da JMPLA. Minutos depois acorreram ao local agentes da polícia para repor a ordem e detiveram os militantes da oposição, Armando Kassanga e Ermesto Katchimulingue que foram transportados de motorizadas para uma cadeia da comuna da Chiuca. Durante o caminho, foram espancados pela polícia.

No dia 18 de Setembro, militantes da UNITA concentraram-se defronte à unidade policial de Chiuca para protestar contra a detenção dos seus companheiros e a policia decidiu evacuar para o comando municipal da Catabola. Esta manha, 19 de Setembro os detidos foram para a comarca do Kuito.

Kajomba Leite, porta-voz da UNITA no Bié disse-nos que no dia 16 do corrente, o administrador comunal de Caxinde, Paulo Kosse, deslocou-se para a aldeia de Tchisse, tendo orientado a policia e os Serviços de Inteligência e Segurança do Estado para prenderem alguns militantes do Galo Negro entre eles, Alberto Domingos, Severino Tchimbunde e Francisco Kajingo.

Estes, apercebendo-se da situação, abandonaram a sua aldeia e se refugiaram na sede do municio de Chitembo.

Leite deu ainda a conhecer que no dia 18, Kosse regressou a aldeia onde presidiu um comício. Durante a sua intervenção de acordo com a fonte, prometeu deter os militantes da UNITA que perderam as eleições e estão com mania de impugnar os resultados eleitorais.

Uma fonte governamental, desmentiu as informações alegando que essa invenção não passa da velha técnica do Galo Negro para ganhar visibilidade.

Já em Benguela, o governador Armando da Cruz Neto, disse que, “os partidos que contestam os resultados eleitorais e que interpuseram recurso ao Tribunal Constitucional, estão à procura duma justificação para darem aos seus patrões”

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG