Links de Acesso

Merkel, Clinton e Rousseff são as mulheres mais poderosas


Ângela Merkel, Beyoncé e Lady Gaga

Ângela Merkel, Beyoncé e Lady Gaga

A revista Forbes escolheu pelo segundo ano consecutivo a chanceler alemã, Ângela Merkel, como a mulher mais poderosa do mundo

A Secretária de Estado norte -americana, Hillary Clinton, ficou em segundo lugar, e a presidente brasileira, Dilma Rousseff, em terceiro, repetindo a mesma ordem do ano passado.

A lista enumerou mulheres envolvidas em formulação de programas políticos, entretenimento, tecnologia, organizações não- governamentais, entre outras áreas. Elas foram classificadas de acordo com sua influência, a quantidade de dinheiro que ganham ou controlam e a presença na mídia.

A presidente e responsável máxima da revista Forbes Woman, Moira Forbes, disse que “estas mulheres detentoras de um grande poder exercem sua influência de muitas maneiras, com objectivos diferentes, cada qual com um impacto diferente na comunidade global”.

A revista destacou a determinacão de Merkel’ em preservar a União Europeia, e a sua influência sobre a actual crise da divida na zona do euro.

Clinton foi elogiada pelo modo como vem lidando com crises tais como a divulgação de numerosos despachos diplomáticos confidenciais pelo grupo ante segredo WikiLeaks.

Forbes escolheu Rousseff pela sua liderança na oitava maior economia do mundo, e pelo índice de aprovação que tem obtido nas pesquisas no Brasil.

A idade média das 100 mulheres mais influentes de 28 países foi de 55 anos. No total, elas tiveram 90 milhões de seguidores no Twitter, informou a revista.

Entre as cinco mais votadas ficaram Melinda Gates,- co-presidente da fundação Bill & Melinda Gates e esposa do co-fundador da Microsoft Corp, Bill Gates (quarta mais votada), e ainda Jill Abramson, editora executiva do New York Times (em quinto lugar).

A presidente do Congresso Nacional Indiano, Sônia Gandhi, ficou em sexto lugar, enquanto a primeira dama americana, Michelle Obama, ficou em sétimo. Em 2010, ela ocupou o primeiro lugar.

No ramo musical, Lady Gaga é a número um. Surge em 14.º lugar à frente de nomes como Beyoncé Knowles (32.º), e Shakira (40.º).

A lista contou com novatas, como a actriz Jennifer Lopez e a bilionária filantropa Laurene Powell Jobs, viúva do fundador da empresa Apple, Steve Jobs.

A deputada republicana pelo estado do Minnesota e ex candidata a presidência, Michelle Bachman, ficou entre as 21 mulheres que saíram da lista este ano.

Christine Lagarde, directora gerente do Fundo Monetário Internacional, ficou em oitavo lugar. A ex- ministra francesa tem figurado na lista desde 2004.

Muitas destas mulheres tem papeis importantes na actividade política ou na elaboraçao de programas de açao, e a influência delas … está a aumentar. Portanto, não é nenhuma surpresa que nomes como os de Merkel ou Clinton continuem a estar na lista por tantos anos, comentou a revista Forbes.

A lista completa está no link abaixo.
www.forbes.com/power-women.
XS
SM
MD
LG