Links de Acesso

Meio milhão de pessoas ameaçadas pela fome no Cunene

  • Teodoro Albano

Situação é dramática com pessoas sem nada, diz Bispo Católico que apela a a ajuda

Cerca de meio milhão de pessoas estão afectadas pela fome na província do Cunene região mais a sul de Angola.




A gravidade da situação é denunciada pelo bispo da diocese de Ondjiva, Dom Pio Hipunyati, que apesar de reconhecer as ajudas que têm sido direccionadas para a região, fruto da mobilização da sociedade civil, afirma o drama está longe de ser resolvido.

O sacerdote descreve um cenário dramático de famílias que estão sem nada para comer e revela que a avaliar pelo quadro actual, Cunene irá precisar de assistência até pelo menos Maio de 2014.

“ Há mesmo gente que não tem nada, nada, nada,” disse acrescentando que “a situação que vai se prolongar porque a assistência que precisamos é até meados de maio do próximo ano”.

“Por isso, todas as ajudas neste momento são necessárias e apelamos por isso a contribuição de tosos a sensibilidade de todas de boa vontade para que de facto possam acudir aquelas pessoas que vivem numa situação difícil e que na verdade ninguém venha a morrer pela falta de chuva,” disse

A falta de água como consequência da seca prolongada que grassa toda a região das terras do rei Mandume, está a levar a que famílias criadoras de gado procurem por zonas de pastos.

A busca desenfreada de água para o gado está a trazer consigo outras consequências como os casos de abandono escolar entre as crianças, situação que preocupa o sacerdote católico.

“Nós temos aquelas zonas nas margens do rio Cubango, Cunene e Cuvelai onde ainda se pode encontrar algum alimento para o gado e alguma água e então as pessoas transferem-se para aquelas zonas, sobretudo os homens para que o gado não morra,” disse

“ Isto faz com que os jovens, sobretudo, os rapazes em idade escolar também abandonem as zonas tradicionais de residência e isto cria um estrangulamento social,” acrescentou

Perante a dura realidade, Dom Pio Hipunyati, rreitera o apelo para as ajudas as populações carenciadas do Cunene.

“ Voltamos a apelar a boa vontade de todos para que nos ajudem a lutar contra este flagelo que é a seca. Nos ajudem com bens alimentares nos ajudem com viaturas cisternas que possam levar água para as populações,” disse

O sacerdote falava recentemente no Lubango à margem do retiro espiritual anual dos bispos da CEAST que também reforçaram o grito de socorro para acudir a fome no sul de Angola.
XS
SM
MD
LG