Links de Acesso

Material de construção de estradas apodrece em Malanje

  • Isaías Soares

Máquinas abandonadas em Malanje estão a enferrujar

Máquinas abandonadas em Malanje estão a enferrujar

No eixo viário Caculama/ Luquembo as empreiteiras EMSA e Jaime Ribeiro & Filhos Limitada abandonaram as obras e os estaleiros em Tala Mungongo (Kambundi-Katembo) e Kunga – Palanga (Luquembo).

Máquinas e equipamentos para a construção e reabilitação das vias rodoviárias em Angola que custaram dezenas de milhar de dólares estão a enferrujar após terem sido abandonados pelas empresas que os receberam.

Angola Malanje veículos abandonados por companhia de construção

Angola Malanje veículos abandonados por companhia de construção

Algumas empreiteiras contratadas pelo executivo nacional não cumpriram com os compromissos e chegaram ao ponto de abandonar os estaleiros .

No eixo viário Caculama/ Luquembo as empreiteiras EMSA e Jaime Ribeiro & Filhos Limitada abandonaram as obras e os estaleiros em Tala Mungongo (Kambundi-Katembo) e Kunga – Palanga (Luquembo).

O secretário-executivo provincial da Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral (CASA-CE), Carlos Xavier Luís Lucas visitou recentemente a região Songo de Malanje e não gostou do que viu.

“Faz muito tempo de que as estradas estão a ser reabilitadas, precisamente desde 2007, e a estrada que liga Caculama para a região Songo encontra-se em péssimas condições”, disse.

O político suspirando acrescentou: “Estamos bastantes admirados e quereríamos também obter alguma resposta do executivo a que se deve a não reabilitação deste troço rodoviário”.

As populações dos municípios de Kambundi-Katembo, Luquembo e Quirima enfrentam enormes dificuldades de ordem social.

O governador de Malanje, Norberto Fernandes dos Santos, reconheceu recentemente no Luquembo, o sofrimento da maioria dos angolanos.

O governante disse que o momento actual já não é apenas de palavras.

“A melhor maneira de falar é realizar, porque se nós não trabalharmos, naturalmente que as populações vão continuar a estar com algumas dificuldades que ainda hoje atravessam”,disse.

“Peço aos membros do governo, aos senhores administradores municipais e comunais que prestem atenção no programa que nós próprios aprovamos e que temos que criar as condições para a população viver bem”, aconselhou Norberto dos Santos.

XS
SM
MD
LG