Links de Acesso

Maputo relutante em admitir pirataria marítima na sua costa


Maputo relutante em admitir pirataria marítima na sua costa

Maputo relutante em admitir pirataria marítima na sua costa

As autoridades de Maputo continuam a não dizer se houve, ou não, um sequestro

4 Jan 2011 - O governo de Moçambique disse que já foi localizado o navio de pesca sequestrado entre a costa do seu país e Madagascar.
No entanto, as autoridades de Maputo continuam a não dizer se houve, ou não, um sequestro. O vice-ministro das pescas afirma que a embarcação foi localizada e se dirige para Norte, sem dar muito mais pormenores.
Um comunicado oficial diz que "pelos dados disponíveis, não se pode afirmar com segurança que se trate de uma acção de pirataria". Mas, acrescenta que a acção do Governo é "orientada no sentido de preservar a vida dos 24 tripulantes", a maioria dos quais são moçambicanos.
A empresa proprietária do navio VEGA 5 anunciou que o barco foi sequestrado. A União Europeia, através da sua operação de combate à pirataria, afirma também que o navio foi sequestrado, no passado dia 28, ao largo da costa de Moçambique.

Entrevistado pela VOA, António Gaspar, director do Instituto de Relações Internacionais de Moçambique, considera ser “extremamente preocupante” o alastramento da pirataria à costa moçambicana, porque o fenómeno tem “efeitos nefastos não só para a livre circulação de navios mercantes, para também para a economia nacional”.

Por seu lado, o general na reserva Loureiro dos Santos e antigo ministro da Defesa de Portugal aborda a situação na perspectiva da cooperação naval internacional no combate à pirataria marítima e recorda legislação aprovada pela ONU, ao abrigo da qual os autores daquelas acções poderão ser detidos e julgados. Loureiro dos Santos adianta, no entanto, que muitos países – entre os quais Portugal – ainda não actualizaram o seu código penal de forma a poderem julgar os piratas do mar.

XS
SM
MD
LG