Links de Acesso

Maputo: Falta de água enerva residentes

  • Simião Pongoane

Mais de um milhão de pessoas dependem da água fornecida pelos privados nas cidades de Maputo e Matola.

Em Moçambique, pelo menos cem mil pessoas estão em risco de ficarem sem água canalizada nas suas casas nos bairros periféricos das cidades de Maputo e Matola, devido a um conflito entre o governo e os fornecedores privados do precioso líquido.
São mais de um milhão de pessoas que dependem de água fornecida pelos privados nas cidades de Maputo e Matola.

Os privados estão a fazer um jogo considerado muito perigoso de chantagem ao governo que está a fazer expansão das infra-estruturas de fornecimento de água à população que era abastecida pelo sector privado.

Os privados filiados na Associação dos Fornecedores de Água de Moçambique, AFORAMO, ameaçam fechar torneiras, alegando que o governo está a tirar-lhes o negócio e exigem indemnizações.

Alguns membros da Associação já fecharam as torneiras, deixando a população sem água.

O Governo activou entretanto um plano de contingência para mitigar a crise e apelou ao bom senso dos privados.

O assunto é considerado muito sensível, neste momento em que o país se prepara para as eleições municipais.

O acesso à água tem sido um cavalo de batalha nas eleições locais em Moçambique, onde cerca de metade da população estimada em 23 milhões de pessoas não têm acesso ao precioso líquido.

A sua Opinião

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG