Links de Acesso

Luanda: Polícia liberta sete manifestantes, um vai a tribunal

  • Coque Mukuta

Kamulingue e Cassule

Kamulingue e Cassule

Um dos manifestantes está hospitalizado

Já estão em liberdade seis dos sete jovens detidos Segunda-feira na vigília por Isaías Cassule e Alves Kamolingue quando a polícia dispersou dezenas de jovens que pretendiam assinalar o primeiro aniversário do desaparecimento de Kamolingue.




Um manifestante Raul Mandela encontra-se hospitalizado em Luanda com graves ferimentos no corpo sofridos alegadamente durante a carga policial.

Emiliano Catumbela, mais conhecido por “Ti Creme”, encontra-se detido e será ouvido a partir desta quarta-feira na Procuradoria geral da República, acusado de crime de ofensas corporais.

A Policia de Luanda, informou em comunicado ter sido "forçada a intervir para persuadir um pequeno ajuntamento de jovens no Largo da Independência", que pretendiam efectuar "uma vigília não autorizada pelo Governo Provincial".

Adolfo Campos um dos organizadores disse a voz da América que a polícia não conseguiu justificar as razões da proibição da vigília e acusou as autoridades de de escolherem a via das agressões contra os jovens.

O activista disse que a policia tinha partido os braços de Catumbela que foi preso e que, segundo disse, foi espancado.

Adolfo Campos afirma ainda que os jovens não vão desistir dos protestos para exigirem esplicações sobre o desaprecimento de Alves Kamolingue e Isaías Cassule.

Os dois desapareceram há um ano atrás quando estavam envolvidos em preparativos de manifestações de desembolizados das forças armadas.

O advogado David Mendes da organização Mãos Livres vai defender em tribunal Emiliano Catumbela -
XS
SM
MD
LG