Links de Acesso

O exaspero do Norte do Mali

  • Ana Guedes

Desde Março as populações de Gao, Timbuctu e Kidal vivem sob controlo de rebeldes separatistas Tuareg armados e militantes islâmicos

Protestos de rua de jovens no norte do Mali, ocorridos esta semana, põem em relevo o exaspero de um povo que desde há três meses vive à mercê de grupos armados.

O governo interino do Mali elogiou “a coragem” e “resiliência” dos jovens e afirmou, de novo, que tudo fará para rechaçar o que descreve como terroristas e criminosos.

Os residentes da cidade norte maliana de Gao desceram às ruas após a morte de um responsável local aparentemente às mãos de grupos armados que agora controlam a região.

Em comunicado o governo elogiou os residentes de Gao pela sua “resiliência exemplar” em face da humilhação, da criminalidade e da violência gratuita.

Desde finais de Março, que as populações de Gao, Timbuctu e Kidal vivem sob controlo de rebeldes separatistas Tuareg armados e militantes islâmicos.

Residentes do norte disseram à VOA que se sentem abandonados pelo seu governo e que, apesar do perigo, as pessoas deverão voltar a revoltar-se.

Hamadoun Toure, o ministro das comunicações do Mali, e porta-voz do governo disse à VOA: “Eles confrontaram a humilhação e a repressão imposta pelos ocupantes. Os grupos armados que ocupam o Norte viram agora nestes jovens uma faceta da resistência popular maliana.”

Toure diz ser óbvio que será preciso mais do que cidadãos desarmados para expulsar o que descreveu como terroristas e criminosos. Notou que o governo maliano continua a preferir uma solução negociada. Mas, caso não funcione, o Mali irá usar a força militar. Toure disse que entendia o exaspero popular

“Não os esquecemos. Não os abandonamos e não os iremos abandonar. Compreendemos a sua frustração e, para além disso, partilhamos a sua frustração. Infelizmente leva tempo para expulsarmos estes grupos armados. Trabalhamos dia e noite. É isso que estamos a fazer.”

Os mediadores do bloco regional CEDEAO estão em conversações com representantes do grupo separatista Tuareg – Movimento Nacional de Libertação de Azawad, ou MNLA – e com o grupo militante islâmico Ansar Dine, para explorar opções para uma solução negociada. Enquanto isso, os líderes regionais preparam o envio de tropas e pediram apoio formal das Nações Unidas para uma intervenção no norte do Mali.

Os grupos de militantes islâmicos que lutam lado-a-lado com o MNLA na captura do norte maliano confrontaram-se desde então entre si – incluindo um mortal combate em Gao, na quarta-feira, e estão agora a controlar muitas áreas.

XS
SM
MD
LG