Links de Acesso

Hospital Materno-Infantil em Malanje com falta de quadros

  • Isaías Soares

 Hospital Materno infantil de Malanje

Hospital Materno infantil de Malanje

O grito de socorro foi dado pela directora da instituição.

O Hospital Materno-Infantil de Malanje, com uma capacidade de 250 camas, precisa de mais duas dezenas de médicos e cerca de uma centena de técnicos de saúde para minimizar a demanda de pacientes.A preocupação foi expressa pela directora-geral da instituição Laurinda Vidal Quipungo durante um debate radiofónico na emissora oficial local.

Dez na maternidade e 10 na pediatria numa primeira fase, mas precisaria de mais 50 ténicos para cada área”, confirmou.

A responsável reconheceu que os serviços de ultrassonografia, mamografia e electro-cardiograma nunca funcionaram desde a sua instalação em 2011, um ano antes da sua inauguração pelo ministro da Saúde, José Van-Dúnem.

“Neste momento do jeito que foram instalados, não funcionaram, mas já veio uma equipa que averiguou o sistema que é chinês”, disse.

A unidade realiza uma média diária de 30 partos, dos quais 15 em adolescentes e geralmente por cesarianas.

O atendimento no Hospital Materno-Infantil poderá ser mais célere e humanizado quando as unidades de cuidados primários da periferia da cidade funcionarem em pleno e com as condições exigidas.

Em funcionamento estão as áreas de consulta externa, pediatria, pré-natal, ginecologia-obstetrícia, consulta de alto-risco obstétrico, bancos de urgência, pós-parto, neonatologia, sala de parto pós-operatório, puerpério normal e patológico, bloco operatório, esterilização, PAV, internamentos na pediatria e na maternidade, laboratório e farmácia interna.

Refira-se que a farmácia externa quase nunca tem remédios para os pacientes em consulta externa.

XS
SM
MD
LG