Links de Acesso

Médicos do Hospital de Malanje debatem a má qualidade de serviços

  • Isaías Soares

Serviços de Emergencia do Hospital de Malanje em Angola

Serviços de Emergencia do Hospital de Malanje em Angola

Pessoal clínico é acusado de dar pouca atenção aos utentes e a direcção do hospital pocura remediar o mal

A humanização dos serviços no Hospital Geral de Malanje levou a direcção daquela unidade de referência na região nordeste de Angola a iniciar na tarde desta terça-feira uma reunião com todos os médicos.

O director-geral da instituição, médio Armado Dala, disse que a reunião vai balancear as acções desenvolvidas até ao momento e encontrar soluções para os problemas que afligem os pacientes e familiares.

“Porque os problemas, obviamente ainda existem e é preciso equacioná-los e, a ordem dos médicos penso que têm a sua responsabilidade nisso também”, referiu o responsável, justificando que “em termos de médicos nós ainda temos uma força de trabalho que não corresponde aquilo que são as nossas expectativas, precisamos, então, adequar isto, precisamos de saber quantos somos, onde é que estamos, precisamos inclusivamente de fazer uma abordagem sobre aquelas valências hospitalares que precisam de mais algum reforço em termos de força de trabalho qualificada”.

Director-geral do Hospital Geral de Malanje que este ano vai receber uma turma estudantes do quinto ano de medicina da Faculdade de Medicina desta província da Universidade Lueji A´NKonde, quinta região académica.

“E para isso, precisamos organizar alguns departamentos, alguns serviços como é o caso da psicologia ou da psiquiatria, tanto é uma cadeira médica e o hospital não tem serviço de psiquiatria organizado, o mesmo se diz em relação a medicina legal ou otolaringologia”, disse o médico, acrescentando que “daqui para adiante temos que começar a reflectir nisso e pensar que médicos nós precisamos para Malanje onde é que devem estar?”.

Na reunião que termina esta noite os médicos de várias especialidades, o responsável máximo da unidade hospital, médico Armado Dala antevê contribuições para retirar a mesma da crise em que está mergulhada.

A melhoria da relação médico-paciente e ética médica deverão ser afloradas no encontro que decorre uma das salas reuniões do laboratório de análises clínicas Sagrado Coração de Jesus da Igreja Católica.

O atendimento é deficiente em todos os serviços do Hospital Geral de Malanje, desde os bancos de urgências as consultas externas, segundo o paciente André Domingos, “a pessoas chega aqui já arrasca, doente tem que esperar tantas horas, isto não fica bem dado que tem muita gente aqui doente”.

“Os doutores deveriam velar por esta situação, as pessoas ficam aqui, esperam, esperam já doente”, lamentou, questionando “já imaginou sem ser consultado dão ficha para vir amanhã? Das cinco que estamos aqui deram ficha nada se faz, só para dizer que os enfermeiros aqui ficam nervosos a toa, você aqui se não se comporta não tem atendem mesmo”.

André Domingos, mal disposto continuou, “a pessoa tem que se humilhar porque está doente, porque senão mesmo aqui se você fica aqui te chutam”.

O sofrimento de milhares de pacientes e familiares no Hospital Geral de Malanje pode terminar nos próximos tempos, tal como ocupar espaço para recepção de uma ficha para a consulta às três da manhã, com o risco de ficar sem receber a mesma.
XS
SM
MD
LG