Links de Acesso

Cadeia da Damba vai produzir alimentos para os presos

  • Isaías Soares

Prisão de Malanje

Prisão de Malanje

A Cadeia da Damba, em Malanje, anunciou a implementação de um projecto integrado agro-pecuário para a produção de alimentos para os presos.

O director-geral-adjunto dos Serviços penitenciários para área Administrativa, Comissário Carlos Diamantino de Assunção, que reconheceu a actividade agrícola na Damba, afirmou que os reclusos terão novas oportunidades.

“Novos hábitos pelo trabalho vão conferir ao recluso novos valores e novas competências técnico-profissionais, quer a partir da formação técnico-profissional e a partir do seu enquadramento no trabalho socialmente útil”, justificou.

Diamantino garantiu que “com o fomento da produção vai poder, por um lado, tornar auto-sustentável o atendimento da população prisional em termos de alimentação e contribuir para a redução dos gastos que o Estado tem para manutenção da população penal”.

“O excedente vai poder contribuir para o abastecimento alimentar da sociedade”, concluiu.

Cerca de 70 hectares nos sectores de Camilacasso e a Lagoa da Damba foram preparados na presente safra para o plantio de produtos agrícolas.

O director provincial dos Serviços Penitenciários, Sub Comissário Prisional Chinhama Samuel Jamba, reafirmou a necessidade da implementação do Projecto agro-pecuário.

Jamba garantiu que “Malanje é uma das poucas províncias que foi beneficiada na experiência-piloto, no sentido de fomentar a actividade agro-pecuária. Malanje tem espaço, tem clima, tem água, o que propicie para que se implemente esse projecto a curto, médio e longo prazo”.

Durante a segunda metade da campanha agrícola passada, os reclusos lançaram à terra sementes melhoradas de cereais, tubérculos, hortícolas e plantas fruteiras.

O Estabelecimento Penitenciário da Damba, com uma população penal de 406 condenados e 330 detidos, possui um sector pecuário.

XS
SM
MD
LG