Links de Acesso

Activistas detidos na praça 4 de Fevereiro em Malanje

  • Isaías Soares

Angola Malanje

Angola Malanje

Seis indivíduos identificados com a União de Activistas das 18 Províncias foram detidos esta tarde na Praça 4 de Fevereiro em Malanje quando se concentravam para dar inicio a uma manifestação por algumas artérias desta cidade.

As detenções das activistas efectuadas por efectivos da Polícia Nacional ocorreram pouco depois das 13 horas e 30 minutos encaminhados para o Serviço Provincial de Investigação Criminal onde para interpelações.

O coordenador adjunto da União de Activistas das 18 Províncias, António Caquienze que confirmou a detenção de Aires Mendes Mendonça, Soberano Moralista, Arsénio Monteiro, Lágrima, Nelson Vunge e mais um convidado não identificado.

“Exigimos o governo da província a soltura dos nossos manos mais cedo, caso não, não soubemos como vai ser Malanje”, António Caquienze a instantes ao telefone a partir da capital angolana, Luanda.

Hoje de manhã, o primeiro secretário provincial do MPLA garantiu que a justiça tomaria conta de todos quanto de forma ilegal juntar-se para realizar qualquer tipo de manifestação pública.

“O MPLA e o governo de Malanje não cedem a chantagem de quem quer que seja”, referiu Norberto Fernandes dos Santos a, aconselhando os representantes da aludida organização a regular-se junto das estruturas governamentais.

O Secretario do MPLA na província de Malanje que discursava de manhã num comício de massas antecedido por uma marcha de apoio ao Chefe de Estado angolano e os 40 anos de independência da República de Angola, disse que o “grupinho quer vir aqui e deixar, comprometer a harmonia que o povo tem aqui na província de Malanje ”.

“Podem andar aí o cidadão é livre, mas quando eles se juntarem num grupinho e quererem fazer alguma coisa a lei também é clara, vamos actuar de acordo com a lei”, advertiu.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG