Links de Acesso

Kwanza Sul: Governador promete novos hospitais

  • Teodoro Albano

Em tempos de balanço, o governo da província do Kwanza-Sul diz que no ano de 2013 muitas realizações foram feitas pese embora o espírito de bem-servir deva impelir as autoridades locais a materializar o programa gizado em 2014.




Eusébio Teixeira de Brito falava na cerimónia de apresentação de cumprimentos de fim-de-ano em participaram membros do seu governo, entidades eclesiásticas e tradicionais, políticos, organizações não-governamentais e associações juvenis.

O governador província do kwanza Sul, Eugénio Teixeira de Brito disse que o seu governo vai dar especial atenção ao sector da saúde em 2014 ,prevendo a abertura de pelo menos dois hospitais.

«No âmbito da saúde preconizamos reforçar a rede sanitária com um hospital de referência no Sumbe e a entrada em funcionamento do hospital da Cela completamente moderno, a criação dos serviços de assistência médica á sinistralidade nas estradas e o equipamento dos postos periféricos com meios de transporte e pessoal para corresponder à demanda,» disse o governador que falava
na cerimónia de apresentação de cumprimentos de fim-de-ano por membros do governo local, políticos e representantes da sociedade civil.

O Governador defendeu também o relançamento da agricultura, com realce para o reaproveitamento das fazendas até agora inoperantes, e a melhoria das condições de habitabilidade das populações.

Teixeira de brito disse que o seu governo tinha já iniciado o “árduo processo de levantamento das grandes parcelas de terra distribuídas mas, sem uso há muito tempo, por forma a evitar apropriação sem uso e concomitantemente redestribuir àqueles com capacidade técnica e financeira para ajudar na mitigação da fome”.

“ Pretendemos assim dar corpo a um vasto programa de relançamento da produção de culturas dentre elas o café, o algodão e as hortofrutícolas,” disse.

Sobre o papel das administrações municipais, Teixeira deixou claro que os seus gestores devem preocupar-se com os problemas que afectam as populações em vez de estarem atentos apenas à execução financeira:

«No âmbito da administração local do Estado, maior exigência será feita às administrações municipais, no sentido de terem os serviços funcionais e os administradores empenhados na resolução dos problemas dos munícipes,” disse.

Esperamos que na prossecução dos interesses do Estado, os senhores administradores não estejam apenas atentos à execução financeira porque administrar não é apenas gerir a carteira de projectos mas é antes de tudo ser capaz de gerar receitas, gerir conflitos e dar soluções,” acrescentou o governo que afirmou ainda que o seu governo vai exigir em “sagacidade, perspicácia a todos os detentores de cargos de direcção e chefia a todos os níveis».

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG