Links de Acesso

Justiça angolana acusada de favorecer a Chevron

  • José Manuel

Antigos trabalhadores que ganharam acções em tribunal dizem que a justiça não aplica as suas decisões arrastando os processos durante anos.

Antigos funcionários da multinacional americana Chevron acusam os tribunais angolanos de favorecerem aquela companhia petrolífera em processos judiciais.

De acordo com alguns trabalhadores ouvidos pela VOA, a Chevron tem criado obstáculos na resolução célere dos processos judiciais.

Para os antigos trabalhadores é paradoxal a não execução de processos de penhora contra a Chevron, quando os próprios tribunais dão ganhos de causa aos empregados.

Domingos Pascoal foi despedido pela Chevron, no campo petrolífero de Cabinda e intentou uma acção judicial cujo recurso já leva mais de seis anos no tribunal supremo.

Ele disse não entender o por quê dos atrasos. “Não há solução, ninguém diz nada, às vezes um indíviduo fica a interrogar-se se há corrupção nesse processo ou não”, questiona Pascoal

Manuel Júlio também foi despedido inexplicavelmente pela Chevron. Ele diz que o tribunal de Cabinda mesmo com a decisão do Tribunal Supremo não consegue penhorar as instalações da Chevron em Cabinda como foi requerido pelo seu advogado.

Júlio afirmou também que um tribunal tinha decidido a seu favor em 2005 mas a Chevron recorrido da sentença. “Esse recurso também teve o seu despacho a meu favor e o tribunal provincial simplesmente ignora e eu não sei o que é que se passa”, lamentou.

“Não sei se há uma mão invisível da Chevron no tribunal”, concluiu aquele antigo trabalhador.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG