Links de Acesso

Julgamento de Nito Alves será retomado a 1 de Julho

  • Coque Mukuta

Angola Nito Alves

Angola Nito Alves

O adiamento deve-se à ausência de testemunhas de acusação.

A primeira sessão do julgamento do Nito Alves teve lugar na manhã de hoje mas foi suspensa quando eram 12 horas, por ausência de vários declarantes.

O julgamento deverá continuar no dia 1 de Julho. Em causa, a ausência de duas testemunhas pertencentes ao grupo dos que detiveram o réu no dia 12 de Setembro de 2013. Na sessão de hoje um dos oficiais que participaram da detenção de Nito Alves confessou desconhecer as razões da detenção de Nito Alves.

O Tribunal de Viana esteve cercado por elementos da polícia de intervenção rápida acompanhado de cães, e funcionários dos Serviços de Inteligência e Segurança de Estado (SINSE), para impedir protestos.

Até jornalistas foram impedidos de exercem as suas funções ao não terem acesso às instalações do tribunal.

Segundo David Mendes, membro da equipa de advogados de defesa, a primeira audiência mostrou claramente que não houve crime de que é acusado Nito Alves.

“Está claro que é uma cabala e mostra claramente que não há crime a que o réu vem acusado e a única solução é absolvição”, disse Mendes.

À saída do tribunal, os jovens presentes gritaram slogans como: “Ze-du fora!”, “Ditador Fora!”.

No terreno, o comandante da divisão Conseção Antonio apelou aos manifestantes a não pautarem pela desordem pública uma vez que Nito Alves estava em liberdade.

O caso de Manuel Baptista Chivonde Nito Alves é um processo que corre desde o ano passado, quando ele foi detido e acusado de crime contra os órgãos de soberania por ter mandado imprimir t-shirts com slogans contra o presidente José Eduardo dos Santos

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG