Links de Acesso

Julgamento de jornalista adiado pela segunda vez

  • Redacção VOA

Atitutde da polícia "é uma vergonha", diz activista de direitos humanos.

O julgamento do jornalista Queirós Chiluvia voltou a ser adiado esta quarta-feira numa altura em que cresce o movimento de solidariedade à favor da sua soltura.

O director da Rádio Despertar Emanuel Malaquias disse à Voz da América que o juiz decidiu adiar o julgamento porque a Polícia mais uma vez não conseguiu sustentar acusação.

Foi a segunda vez que tal aconteceu.

O jornalista foi preso no fim de semana quando tentava fazer uma reportagem no local onde detidos estavam a ser agredidos pela polícia

O responsável Do Conselho Angolano para os Direitos Humanos, Francisco Tunga Alberto, considera uma vergonha a attitude da Polícia.

O jornalista Makuta Ankondo diz que toda a classe devia unir-se para exigir a libertação de Queirós Chiluvia.

Entretanto a orgganização juvenil da UNITA e o chamado Movimento Revolucionário ameaçam realizar uma manifestação à escala nacional para exigir a libertação do jornalista.

Não é a primeira vez que as autoridades Angolanas prendem um jornalista no desempenho pleno da sua profissão.

Há cerca de dois anos os jornalistas Isaac Manuel, Rafael Marques, Ana Margoso, Coque Mukuta, e Alexandre Solombe tinham sido presos quando reportavam uma manifestação .

O recente relatório da Rights Watch (HRW) publicado este ano referiu que as autoridades angolanas intensificaram em 2013 a repressão para limitar a liberdade de expressão, associação e reunião e os abusos policiais e detenções arbitrárias .
XS
SM
MD
LG