Links de Acesso

Jornalista e activistas detidos em Calomboloca


Arquivo

Arquivo

Correspondente da Voz da Alemana em Angola e três activistas foram visitar alguns dos jovens do auto-denominado Movimento Revolucionário.

O jornalista Nelson Sul d´Angola, correspondente da Voz da Alemanha, está detido na unidade prisional de Calomboloca juntamente com uma comitiva do Grupo de Apoio aos Presos Políticos Angolanos (GAPPA), que foi visitar alguns activistas detidos naquela prisão desde Junho.

Segundos fontes citadas pela Voz da Alemanha, Nelson Sul d'Angola foi "retido" na cadeia por ter tentado tirar fotografias dos detidos.

Responsáveis da unidade prisional de Calomboloca sublinham que o correspondente não se encontra detido, mas sim "retido", uma vez que "não têm direito de deter ninguém", segundo o jornalista Manuel Luamba, da Rádio Despertar, em Luanda, citado por aquela emissora internaiocnal.

Entretanto, segundo o blogue Quintas de Debate, os activistas da Omunga terão recebido ameaças de morte nos seus telefones.

“Omunga cheio de famintos e portadores de sida escravos de um panina se faltei de voçes chegou o vosso tempo de serem mortos nas rua o primeiro será o norinho os outros seguiram Logo estamos junto”, é o texto que aqueles activistas receberam.

Neste momento, o jornalista Nelson Sul d'Angola está incontactável, assim como os activistas Jesse Lufendo, da brigada jornalística da Associação Omunga, João Malavindele, da Associação Omunga e Rafael Morais, da Associação SOS Habitat.

Os activistas detidos na prisão de Calomboloca fazem parte de um grupo de 15 jovens do auto-denominado Movimento Revolucionário, acusados pelas autoridades angolanas de estarem a preparar um golpe de Estado pela via da desobediência civil contra o Presidente angolano e outros membros dos órgãos de soberania.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG