Links de Acesso

John Kerry classifica de "absurdas" justificações da Rússia sobre ataque na Síria

  • Redacção VOA

John Kerry na reunião do Conselho de Segurança da ONU

John Kerry na reunião do Conselho de Segurança da ONU

Secretário de Estado acusa Rússia de atacar carros da ONU com ajuda humanitária.

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, exigiu nesta quarta-feira, 21, que a Rússia e o Governo da Síria detenham imediatamente os voos sobre zonas de batalha, o que classificou como a última oportunidade de preservar um cessar-fogo vacilante e encontrar um caminho "para fora da carnificina".

John Kerry estava visivelmente inflamado ao interpelar o ministro russo das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) em Nova York num confronto televisivo anormalmente acalorado.

O chefe da diplomacia americana disse que o bombardeamento de um carros da ONU que levavam ajuda humanitária na Síria despertou "dúvidas profundas sobre a Rússia e o regime de (presidente sírio, Bashar Al-) Assad poderem ou quererem se mostrar à altura" das obrigações do cessar-fogo.

Ouvir Lavrov o fez sentir como se vivesse num "universo paralelo", reiterou Kerry.

No terreno, os rebeldes combateram as forças de Assad em grandes frentes de batalha próximas de Aleppo e Hama e há relatos de que ataques aéreos mataram uma dezena de pessoas, incluindo quatro funcionários médicos.

"Enfatizo isto à Rússia. Os Estados Unidos continuam a acreditar que existe um caminho adiante que, embora pedregoso e difícil e incerto, pode proporcionar a rota mais viável para fora da carnificina", afirmou Kerry.

O secretário de Estado americana reiterou que as explicações da Rússis são absurdas da Rússia.

O Governo americano afirmou que o ataque foi realizado por aviões de guerra russos, enquanto um comunicado do Kremlin refutou a acusação dizendo que os caminhões "pegaram fogo", o que o diplomata norte-americano disse equivaler a atribuir a culpa a uma "combustão espontânea".

XS
SM
MD
LG