Links de Acesso

Estudante de engenharia sugere solução para o problema da distribuição da energia eléctrica em Angola

  • Danielle Stescki

Daniel Honório a estudar em França

Daniel Honório a estudar em França

Daniel Honório, de 23 anos, é bolseiro do Instituto Nacional de Gestão de Bolsas de Estudo (INAGBE) e vai concluir este ano os estudos de Engenharia Eléctrica em Montpellier, França.

Natural do Maianga, mais especificamente do bairro Rocha Pinto, Honório já estava a estudar Engenharia Electrónica e Telecomunicações na Universidade Agostinho Neto. Mas através de um amigo soube de uma oportunidade para estudar na Europa.

Participou de um concurso público e saiu-se bem. Fez uma formação de seis meses na Aliança Francesa e foi seleccionado para estudar no sul da França.

Muitas pessoas desconhecem que o ensino em França é gratuito. Honório explicou que no início do ano paga-se uma taxa de inscrição simbólica. Os estudantes têm gastos com alimentação, vestuário, livros, etc.

O estudante universitário comparou o sistema de ensino em Angola e em França e concluiu que são muito diferentes.

"Em França o estudo é mais prático e objetivo. Já no primeiro ano o estudante aprende informação que tem a ver exatamente com a engenharia".

Honório descreveu o ensino em Angola como mais teórico "até porque não há muitos laboratórios."

Os angolanos enfrentam vários problemas com a falta de energia, e uma das soluções que o futuro engenheiro eléctrico sugere é o investimento em energia renovável, como paineis solares e energia eólica.

De acordo com Honório, o investimento em energia solar vai fazer com que possa-se, por exemplo, solucionar problemas na distribuição e armazenamento de energia eléctrica.

"Com os paineis solares vamos poder produzir a energia lá onde ela será consumida, não havendo necessidade de transportar ou armazenar. Isso é uma vantagem enorme".

Confira a entrevista na íntegra.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG