Links de Acesso

Instituições devem habituar-se a serem fiscalizadas - UNITA

  • Teodoro Albano

Senhora do Monte, Lubango (Angola)

Parlamentares da UNITA na Huíla para fiscalizarem programas orçamentais saudam abertura do governo provincial

As instituições do estado angolano devem habituar-se a serem fiscalizadas pelo parlamento, disse o deputado da UNITA Adalberto da Costa Júnior.




O deputado faz parte de uma delegação da bancada parlamentar da UNITA estão na Huíla para avaliar o nível de execução e cumprimento do orçamento de 2013 atribuído para a província.

A delegação que integra os deputados Adalberto Costa Júnior e Alberto Ngalanela, manteve já um encontro com o vice-governador para o sector económico, Sérgio da Cunha Velho, do qual ouviram alguns esclarecimentos da aplicação do orçamento do estado no presente exercício.

Adalberto Costa Júnior, saudou a abertura demonstrada pelas autoridades da província, mas alertou que a visita tem por objectivo cultivar entre alguns gestores públicos a prática da fiscalização do desempenho do executivo, uma das atribuições do deputado;

“ Nós sabemos que não há uma prática uma cultura de fiscalização no nosso país. E nós gostaríamos também com estas visitas de fazermos também um pouco do papel didáctico e educativo as instituições em geral não estão habituadas a ser fiscalizadas e nomeadamente de ter os deputados a fiscalizar os seus níveis de desempenho, não é só do orçamento geral do estado é mesmo o nível de desempenho da instituição. As instituições do estado servem todos por igual,” disse.

Matala e Kuvango para além da capital Lubango, são os municípios que deverão merecer a visita dos deputados do Galo Negro onde esperam ouvir das autoridades e dos eleitores sobre as variadas inquietações sociais.

A visita parlamentar acontece numa altura em que oito dos catorze municípios da província da Huíla experimentam situações de seca que estão a provocar a fome entre a população sobretudo na circunscrição dos Gambos.

Para Adalberto Costa Júnior o governo deve criar condições para que a população futuramente seja autossuficiente na produção alimentar;

“ Estamos a acompanhar as ajudas que estão ser solicitadas para recuperar e assistir as populações nas circunstâncias de fome, mas a nossa leitura é que, obtido este elemento, solucionado a questão da assistência imediata o problema mais importante é criar condições para que futuramente não haja necessidade se continuar a dar as populações comida. As populações têm que ter é condições para serem autossuficientes. Aqui o estado tem que criar investimento e cumprir com os elementos aprovados para levar água às populações,” disse

A visita dos deputados da UNITA a província da Huíla se enquadra num plano que prevê deslocações de fiscalização trimestrais a todas as províncias do país.
O orçamento de 2013 para a província da Huíla está avaliado em 66 mil milhões de Kwanzas, pouco mais de seiscentos milhões de dólares.
XS
SM
MD
LG