Links de Acesso

Angola: INE acusado de burla

  • Fernando Caetano

Kwanzas angolanos

Kwanzas angolanos

Seis empresas estão há mais de cinco meses sem receber o dinheiro. O valor da dívida ascende a 92 milhões de Kwanzas

O Instituto Nacional de Estatística está a ser acusado de burlar empresas prestadoras de serviço contratadas para realizar trabalhos no Kwanza Sul durante o censo realizado no mês de Maio.

O valor da dívida ascende a 92 milhões de Kwanzas.

O INE contratou a empresa Xand Food que, por sua vez contratou seis empresas no Kwanza Sul para prestar diversos serviços na província durante o censo da população realizado este ano.

Uma das empresas contratadas foi a empresa Ricardina que, por sua vez, subcontratou a Eurolinda.

A empresa Eurolinda, segundo o seu proprietário António Gabriel, ficou encarregue de servir o pessoal do INE no município do Mussende e nas comunas de Assango, município do Amboim, e na comuna do Gungo, no município do Sumbe.

António Gabriel diz ter gasto para esses serviços mais de três milhões de kwanzas do seu bolso sem recurso ao banco.

Na celebração do contrato de prestação de serviços, ainda segundo Gabriel, ficou acertado que os serviços seriam pagos semanalmente.

Contudo não passou do papel, pois as seis empresas estão há mais de cinco meses sem receber o dinheiro.

António Gabriel sustenta ter contactado os serviços provinciais do Instituto Nacional de Estatística do Kwuanza Sul, mas foi informado que o INE apenas responde à Xand Food.

O referido empresário disse à Voz da América que a Xand Food, em Luanda, lhe informou não ter recebido ainda qualquer pagamento do Instituto Nacional de Estatística.

António Gabriel salientou que a Xand Food e o INE devem a todas as empresas contratadas 92 milhões de kwanzas.

A Voz da América tentou o contacto do INE em Kuanza Sul mas não obteve qualquer resposta.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG