Links de Acesso

Incidente com avião da LAM deveu-se a anomalia numa peça

  • Redacção VOA

Avião da LAM afectado retomou operação

Avião da LAM afectado retomou operação

A conclusão é da Autoridade Reguladora da Aviação Civil em relação ao incidente de 5 de Janeiro em Tete.

A Autoridade Reguladora da Aviação Civil revelou nesta quarta-feira, 11, que o incidente com um avião das Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) no passado dia 5 quando se preparava para aterrar em Teve deveu-se à anomalia numa peça e não por impacto de qualquer objecto externo como a própria companhia tinha admitido inicialmente.

“Os danos foram registados sensivelmente, no momento em que se iniciou o processo de aproximação, já com a pista a vista para a aterragem no Aeroporto de Tete. Nesse instante, a tripulação ouviu um estrondo, o que alertou sobre a possibilidade da aeronave ter tido contacto com um organismo externo que, mesmo assim, não perturbou a realização normal do voo”, revelou a LAM, no dia 6, tendo anunciado uma investigação.

Em comunicado divulgado hoje, a Autoridade Reguladora da Aviação Civil diz presumir que "a causa tenha sido originada por falha de material, por deficientes reparações anteriores efectuadas" pela fábrica.

Os investigadores concentraram-se no radome depois de terem afastado a possibilidade de colisão com um drone, como adiantou na ocasião o portal de notícias de aviação Newsavia, o que foi, na altura, descartado.

De acordo com a mesma fonte, o radome'será agora submetido a mais testes e o avião já retomou a sua operação.

O incidente aconteceu com um avião Boeing 737-700, que realizava um voo entre Maputo e Tete no dia 5 , com 86 ocupantes.

XS
SM
MD
LG