Links de Acesso

Maria das Neves exige a anulação das eleições em São tomé e Príncipe

  • Óscar Medeiros

Maria das Neves, candidata às presidenciais de São Tomé e Princípe

Maria das Neves, candidata às presidenciais de São Tomé e Princípe

A antiga primeira-ministra são-tomense e candidata derrotada à eleição presidencial de ontem exige a anulação do acto de domingo, 17.

A candidata, que ficou na terceira posição considera, que o acto eleitoral não foi justo nem transparente.

A vitória, no entanto, segundo a Comissão Eleitoral Nacional, sorriu a Evaristo Carvalho, candidato apoiado pelo partido no poder, a ADI, que obteve mais de 50 por cento dos votos nas eleições deste domingo.

Num universo de pouco mais de 111 mil eleitores, o candidato da ADI arrecadou 34.629 votos, mais 188 que os votos de todos outros juntos.

São resultados provisórios divulgados esta madrugada pela Comissão Eleitoral Nacional.

O actual Presidente da República, Manuel Pinto da Costa que concorreu para um segundo mandato ficou na segunda posição com 24,8 por cento dos votos e Maria das Neves a candidata apoiada pelo maior partido da oposição, o MLSTP-PSD e o MDFM-PL conquistou o terceiro lugar com 24,1por cento dos votos.

Outros dois concorrentes, Manuel do Rosário e Hélder Barros não chegaram a 1 por cento dos votos.

A abstenção rondou os 35 por cento.

Em entrevista depois da divulgação dos resultados provisórios o candidato Evaristo Carvalho disse que sempre esteve confiante na vitória.

Perante o novo cenário político, o líder da ADI e primeiro-ministro, Patrice Trovoada, afirmou que o país entrou numa nova era.

Para o analista político Gualter Vera Cruz, a derrota de Manuel Pinto da Costa e Maria das Neves teve a ver com a forma com lidaram com o slogan da estabilidade política defendido por todos os candidatos.

XS
SM
MD
LG