Links de Acesso

Guiné-Bissau: CPLP não quer Nhamadjo na ONU

  • Redacção VOA
  • Lassana Casamá

CPLP não quer Nhamadjo neste lugar. Assembleia geral da ONU

CPLP não quer Nhamadjo neste lugar. Assembleia geral da ONU

CPLP ameaça tambem suspender Guiné Bissau da organização.

Uma intensa batalha diplomática está a desenrolar-se na sede das Nações Unidas onde a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, CPLP, está a encetar contactos para impedir o presidente do governo interino da Guiné Bissau Serifo Nhamadjo de falar perante a assembleia.

Com efeito o Secretário Executivo da organização, o diplomata moçambicano Murade Murargy, disse que a organização está a tentar mobilizar países amigos e outros para impedirem que Nhamadjo seja autorizado a discursar.

Nhamadjo chefia um governo saído do golpe de estado de Abril que não é reconhecido pelos estados membros da organização.

Murargy disse também que está a ser organizado um encontro em Nova Yorque entre a CPLP e representantes da Comunidade de Desenvolvimento da África Ocidental para se discutir a situação na Guiné Bissau.

A CEDAO enviou tropas para a Guiné Bissau mas reconhece o actual governo de transição.

O secretário da CPLP disse que a sua organização quer que haja uma força internacional na Guine que possa assegurar eleições.

À sua partida para Nova Yorque Nhamadjo disse não estar preocupado com a possibilidade de lhe ser negada a palavra na Assembleia geral da ONU.




O presidente interino disse que caso seja autorizado a falar irá explicar a actual situação no país e apelar para que todos se juntem aos esforços do governo para fazer avançar o país.

Por outro lado, o embaixador de Moçambique na ONU, António Gumende, disse á Rádio da ONU que a Guiné-Bissau poderá ser suspensa da organização.

Gumende recordou que Moçambique preside também à Comunidade de Desenvolvimento da África Austral, SADC, que suspendeu Madagáscar da organização por tomada ilegal do poder do actual presidente.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG