Links de Acesso

Aumentam Pressões Sobre a Guiné Bissau


Aumentam Pressões Sobre a Guiné Bissau

Aumentam Pressões Sobre a Guiné Bissau

Comunidade internacional exigesubmissão de militares a autoridade civil

As pressões sobre o governo da Guine Bissau para estabilizar a situação e impor a autoridade civil sobre os militares estão a aumentar. O governo britânico, o Conselho de Segurança da ONU e a CPLP condeneram a intervenção militar de 1 de Abril e e exigem a libertação de Zamora Indua, o antigo chefe de estado maior das forças armadas preso na intervenção militar de 1 de Abril. A Grã Bretanha considerou uma afronta ao governo eleito e frisou que o governo civil deve controlar o sector de segurança.

Em declarações aos jornalistas á saída de uma audiência com o primeiro ministro guineense Carlos Gomes Júnior, o embaixador britânico Christopher Tott disse que o seu governo considera os acontecimentos de 1 de Abril como uma afronta ao governo eleito da Guiné Bissau.
Tott admitiu que a situação na Guine Bissau é “muito complicada" mas disse que a Grã Bretanha espera ver que o sector de segurança esteja sob controlo das autoridades.
Por outro lado o Conselho de Segurança das Nações Unidas apelou ao governo da Guiné-Bissau para que liberte imediatamente ou que entregue à justiça o ex-chefe das Forças Armadas, Zamora Induta.
Ouça a reportagem.

XS
SM
MD
LG