Links de Acesso

Governo moçambicano extingue Equipa de Observação da Cessação das Hostilidades Militares


Afonso Dhlakama, líder da RENAMO (esq) e Filipe Nyusi, Presidente da República de Moçambique encontram-se pela primeira vez

Afonso Dhlakama, líder da RENAMO (esq) e Filipe Nyusi, Presidente da República de Moçambique encontram-se pela primeira vez

O Governo moçambicano extinguiu na Segunda-feira, 2, a Equipa de Observação da Cessação das Hostilidades Militares (EMOCHM), criada para garantir o cumprimento do acordo para o fim da crise político-militar no país.

As negociações entre Governo e Renamo encontram-se bloqueadas há meses em relação à desmilitarização do partido de oposição e despartidarização do Estado, num momento em que a Renamo ameaça tomar o poder pela força em seis províncias do centro e norte do país, onde alega ter vencido as eleições.

A EMOCHM foi inicialmente integrada por 35 elementos indicados pelo Governo e outros tantos pela Renamo e ainda por 23 peritos militares internacionais,

XS
SM
MD
LG