Links de Acesso

Governo angolano defende registo eleitoral

  • Manuel José

Ministro angolano da Administração do Território, Bornito de Sousa

Ministro angolano da Administração do Território, Bornito de Sousa

Ministro diz que acusaçoes da oposição são "jogos políticos"

O governo angolano rejeitou acusações da oposição de que está a actuar ilegalmente ao levar a cabo o registo eleitoral.

A oposição mantém que esse registo é da competência da Comissão Nacional Eleitoral (CNE) e não do executivo.

Na semana passada, o ministro da Administração do Território, Bornito de Sousa, reuniu-se com os partidos políticos para discutir a questão. E hoje, 8, teve um “mata-bicho” com jornalistas para analisar o mesmo assunto

Segundo o ministro, as dúvidas decorrem apenas do jogo político da oposição, porque a lei, em seu entender, é clara.

''Com anos de antecedência, já se diz que há fraude, mas eu entendo que isso são jogos políticos, porque a lei é clara: há questões que são da inteira competência do executivo”, disse.

O sociólogo e jornalista João Paulo Nganga, que participou no encontro, entende que há usurpação em alguns aspectos das competências da CNE.

''A CNE está a ser subalternizada pelo governo; o registo eleitoral é da competência da CNE'', disse.

Cesaltina Cutaia, outra convidada ao “matabicho”, disse À VOA que saíu da reunião com o ministro como entrou.

''Não foi dita nenhuma novidade (...) o que me preocupa é a questão da campanha para o registo eleitoral, por causa de aspectos novos introduzidos ao processo, como a prova de vida'', disse

O executivo garantiu que o registo eleitoral arranca em todo país a 25 deste mês.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG